08:06 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Elliott Abrams

    Rússia deve 'sair do caminho' em caso de intervenção na Venezuela, diz diplomata dos EUA

    © AP Photo/ Manuel Balce Ceneta
    Américas
    URL curta
    57459

    O representante especial dos EUA para a Venezuela, Elliott Abrams, está em Portugal para pedir maior cooperação do país europeu nos esforços contra o presidente Nicolás Maduro e falou sobre a situação de Caracas.

    Em entrevista ao jornal Observador, Abrams disse que deve haver um "maior sentido de urgência" para lidar com a questão da Venezuela em países como Portugal e Espanha.

    O representante dos EUA reuniu-se com o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva. 

    "O objetivo é discutir como nós, os EUA e Portugal, vemos a situação na Venezuela, o que podemos fazer para sermos mais eficazes nos esforços para o regresso da democracia no país, o que Portugal acha de mais ações por parte da União Europeia e o que os EUA têm planeado para as próximas semanas e meses", disse Abrams.

    O bloco europeu já impôs sanções contra Caracas ao bloquear bens e impedir a viagem de pessoas ligadas ao governo de Maduro.

    Sobre a "opção militar" que o presidente dos EUA, Donald Trump, já disse estar na mesa contra a Venezuela, Abrams ressaltou que essa hipótese "é verdade". 

    "Ninguém quer uma solução militar aqui. Presumo que ninguém o queira, dentro e fora da Venezuela. Mas essa opção existe. Não me parece que qualquer um de nós saiba ao certo qual será a situação da Venezuela, na região e nas suas fronteiras, daqui a três meses. Não conseguimos prever o futuro", disse Abrams ao jornal Observador.

    Falando sobre a presença militar russa na Venezuela, Abrams também afirmou:

    "Os russos têm por volta de 100 homens no terreno. Diria que, se a situação chegasse [a um conflito armado], é melhor que saiam do caminho."

    A crise econômica e humanitária profunda que se alastra na Venezuela se agravou ainda mais no final de janeiro, quando Juan Guaidó se autoproclamou presidente interino do país. Maduro diz que o problema na Venezuela é fruto de sabotagem orquestrada por oponentes no país e no exterior.

    Vários países ocidentais, liderados pelos EUA, anunciaram o reconhecimento de Guaidó como presidente. Rússia, China, Turquia e outras nações apoiam Maduro como único presidente legítimo.

    Mais:

    Pompeo visita fronteira entre Colômbia e Venezuela neste domingo, dizem os EUA
    Mogherini: UE não planeja ampliar sanções a Venezuela, mas pode mirar autoridades
    'EUA fazem tudo para minar economia da Venezuela', declara deputado russo
    Novas sanções dos EUA contra Venezuela são ato de interferência, afirma presidente cubano
    Tags:
    Nicolás Maduro, Elliott Abrams, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar