12:24 19 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Tubarão-baleia

    Tubarão-baleia encalha em praia do Equador e pescadores o devolvem ao mar (FOTOS, VÍDEO)

    CC0 / Pixabay
    Américas
    URL curta
    180
    Nos siga no

    Um tubarão-baleia encalhou em uma praia na província de Manabí, na costa do Equador, mas conseguiu retornar ao mar graças à ajuda conjunta de banhistas e pescadores.

    O ministro do Meio Ambiente do Equador, Marcelo Mata, confirmou a informação e publicou um vídeo no Twitter sobre o trabalho realizado para devolver o animal ao seu habitat, na sexta-feira (5).

    O animal, um tubarão-baleia juvenil, encalhou depois de ficar preso em uma rede de pesca, segundo informou um comunicado de imprensa do Ministério do Meio Ambiente equatoriano.

    No total, o trabalho do grupo de resgate durou aproximadamente três horas.

    ​Agradeço aos pescadores da área da praia de San Clemente por apoiarem o trabalho de conservação que estamos realizando no Ministério do Meio Ambiente do Equador. Um tubarão-baleia juvenil foi devolvido ao seu habitat

    O tubarão-baleia, da espécie Rhincodon typus, é considerado o maior peixe do mundo, medindo uma média de 12 metros e podendo viver até 150 anos. O nome foi atribuído justamente pelo seu tamanho gigantesco.

    ​Graças ao apoio de um grupo de pescadores, um tubarão-baleia juvenil (Rhincodon typus), de aproximadamente 10 metros de comprimento, que ficou preso em uma rede de pesca nas praias de San Clemente, foi devolvido ao mar

    Este animal está na lista vermelha de espécies ameaçadas ou em perigo de extinção da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

    Mais:

    Mulher desencalha com próprias mãos tubarão em praia dos EUA (VÍDEO)
    Remadores se encontram com tubarão-mako na Flórida (VÍDEOS)
    Tubarão-elefante de 6 metros é visto 'cedo demais' em águas britânicas (FOTO)
    Pescador encontra enorme cabeça de tubarão arrancada por gigante desconhecido (FOTOS)
    Tags:
    mar, pescadores, praia, tubarão, Equador
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar