19:24 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Nicolás Maduro, presidente da Venezuela

    Maduro pede à comunidade mundial que exija que os EUA parem de agredir a Venezuela

    © REUTERS / Carlos Barria
    Américas
    URL curta
    22202

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu neste sábado à comunidade internacional que exija que os Estados Unidos parem com a agressão contra Caracas.

    "Eu peço aos chefes de Estado e governos do mundo que levantem suas vozes […] para defender as demandas para parar a agressão do imperialismo dos EUA contra o povo da Venezuela", disse Maduro durante uma grande manifestação em Caracas.

    Maduro também chamou todas as forças dentro da Venezuela para formar uma união nacional para unir o país e exigir conjuntamente que as autoridades dos EUA parem de atacar a economia do país.

    A Venezuela sofre há muito tempo de uma crise econômica aguda exacerbada pelas sanções dos EUA contra o país. Em janeiro, o líder da oposição, Juan Guaidó, declarou-se presidente interino da Venezuela após disputar a reeleição de Maduro em maio. Washington imediatamente endossou Guaidó e pediu a Maduro que renunciasse.

    Maduro acusou os Estados Unidos de tentarem organizar um golpe para instalar Guaidó como um fantoche dos EUA. Rússia, China, Cuba, Bolívia, Turquia e vários outros países expressaram seu apoio a Maduro como o único presidente legítimo da Venezuela.

    Maduro quer diálogo com México, Uruguai, Bolívia e Caribe

    No mesmo ato em Caracas, Maduro pediu ao México, Uruguai, Bolívia e países caribenhos que contribuam para o diálogo nacional no país.

    "Exorto o presidente do México, o presidente do Uruguai, o presidente da Bolívia e os primeiros-ministros de 14 países da Comunidade do Caribe a retomar a iniciativa no diálogo, que foi acordado em Montevidéu há dois meses", afirmou Maduro.

    Maduro acrescentou que, com a participação do México, Uruguai, Bolívia e países do Caribe, a Venezuela poderia estabelecer um diálogo nacional com todos os setores políticos, culturais, econômicos e sociais.

    Em fevereiro, os governos do México, Uruguai e a Comunidade do Caribe (CARICOM) propuseram o mecanismo de Montevidéu para resolver a crise, que prevê quatro fases: criar condições para um diálogo direto entre as partes conflitantes na Venezuela, processo de negociações, elaboração de um acordo e implementação do acordo.

    Mais:

    Maduro: 'império' americano está conduzindo guerra não convencional contra Venezuela
    Washington pede reunião no Conselho de Segurança da ONU para discutir crise na Venezuela
    'O que está acontecendo na Venezuela é semelhante à situação na Síria', diz Assad
    Tags:
    crise na venezuela, interferência estrangeira, manifestações, diplomacia, Comunidade do Caribe (Caricom), Juan Guaidó, Nicolás Maduro, Estados Unidos, Caribe, Bolívia, Uruguai, Caracas, Venezuela, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar