01:35 21 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    461057

    Uma intervenção militar destinada a derrubar Nicolás Maduro do poder na Venezuela continua sendo uma opção muito séria para os EUA, segundo informou a equipe de segurança nacional de Donald Trump.

    Em particular, um importante funcionário do governo americano assegurou que a implementação dessa opção dependeria da forma como os eventos vão decorrer naquele país.

    "Obviamente é um resultado que ninguém gostaria de ver, mas é claramente um que está sendo seriamente considerado conforme os eventos [na Venezuela] se desenrolarem", declarou um alto funcionário do governo de Donald Trump, que preferiu ficar anônimo, citado pelo Washington Examiner.

    "Esperamos que os militares cumpram seu dever constitucional de proteger o povo venezuelano desses grupos terroristas ilegais conhecidos como os coletivos, dos quais Maduro está cada vez mais dependente", disse o funcionário.

    Em 5 de abril, o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, declarou que os Estados Unidos estavam se preparando para adotar novas sanções contra o setor energético da Venezuela.

    Essa nova rodada de sanções tem como objetivo aumentar a pressão sobre o presidente de fato da Venezuela, Nicolás Maduro, não reconhecido como chefe de Estado por Washington.

    Em 21 de janeiro, na Venezuela tiveram início protestos em massa contra o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, logo depois de ele assumir o segundo mandato presidencial.

    Em 23 de janeiro, o líder da oposição do país, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente interino, tendo sido apoiado pelo Brasil, EUA e vários outros países. Maduro recebeu o apoio de tais países como a Rússia, México, China, Turquia, Indonésia e outros.

    Mais:

    Washington pede reunião no Conselho de Segurança da ONU para discutir crise na Venezuela
    'O que está acontecendo na Venezuela é semelhante à situação na Síria', diz Assad
    Por que razão China aumenta importação de petróleo do Irã e Venezuela?
    Guaidó privado de imunidade: o que irá acontecer a seguir?
    Tags:
    poder, terroristas, intervenção militar, oposição, segurança, Donald Trump, Nicolás Maduro, Venezuela, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar