19:41 21 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Líder da oposição venezuelana e autoproclamado presidente interino, Juan Guaidó, chega à Assembleia Nacional venezuelana em Caracas, 11 de março de 2019

    Suprema Corte da Venezuela pede fim de imunidade parlamentar de Guaidó

    © AFP 2019/ Ronaldo Schemidt
    Américas
    URL curta
    11132

    O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) da Venezuela convocou a Assembleia Constituinte para suspender a imunidade parlamentar do autoproclamado presidente interino venezuelano, Juan Guaidó.

    A decisão foi anunciada perante a imprensa pelo presidente da Suprema Corte, Maikel Moreno, e transmitida por emissoras locais na segunda-feira (1º).

    "O presidente da Assembleia Nacional Constituinte será solicitado a proceder à suspensão da imunidade parlamentar de Juan Guaidó por violação das medidas impostas pelo tribunal", anunciou Moreno.

    O tribunal também confirmou a proibição de o líder da oposição deixar o país sem permissão e o considerou culpado por desacato e violação de proibição.

    Além disso, o tribunal confirmou sua decisão anterior sobre o bloqueio das contas bancárias e qualquer outro instrumento financeiro usados pelo líder da oposição em território venezuelano.

    A Venezuela enfrenta uma crise política aguda desde 5 de janeiro, quando Guaidó foi eleito presidente da Assembleia Nacional controlada pela oposição, que todos os outros órgãos governamentais se recusam a reconhecer desde 2016.

    Em 23 de janeiro, dois dias depois que a Suprema Corte venezuelana anulou sua eleição, Guaidó se autodeclarou presidente interino do país. O presidente venezuelano Nicolás Maduro, que tomou posse para seu segundo mandato presidencial em 10 de janeiro, após vencer as eleições de maio, qualificou a decisão do líder da oposição como uma tentativa de encenar um golpe orquestrado por Washington.

    Os Estados Unidos imediatamente reconheceram Guaidó, tendo outros 50 países seguido o exemplo. Rússia, China, Cuba, Bolívia e vários outros países já manifestaram seu apoio ao governo legítimo de Maduro. México e Uruguai se recusaram a reconhecer Guaidó, mas se declararam neutros e promoveram a solução da crise através do diálogo.

    Mais:

    Especialista: algo deu errado no plano dos EUA e Guaidó de mudar o poder na Venezuela
    Desconhecidos atacam carro de Juan Guaidó em Caracas (VÍDEO)
    Guaidó convoca venezuelanos para derrubar o presidente Nicolás Maduro
    Maduro acusa EUA e Guaidó de arquitetar seu assassinato
    Tags:
    imunidade parlamentar, suspensão, Suprema Corte da Venezuela, Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela, Juan Guaidó, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar