02:34 22 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Presidente Bolsonaro discursa na Câmara de Comércio em Washington, 18 de março de 2019

    Estaria Jair Bolsonaro violando regras do Mercosul?

    © AP Photo / Susan Walsh
    Américas
    URL curta
    13199

    Durante reunião entre Jair Bolsonaro e Donald Trump, o presidente brasileiro não hesitou em aceitar todos os tipos de honras, incluindo o convite à sede da CIA e assinatura de acordos econômicos e comerciais que deterioram a relação histórica com parceiros regionais do Brasil.

    Ao invés de escolher a Argentina como primeiro destino após a posse, o presidente Jair Bolsonaro rompeu com a tendência e viajou para os Estados Unidos. Desde a reconstituição democrática na década de 80, os dois vizinhos sul-americanos mantiveram uma estrita reciprocidade de irmandade diplomática.

    Miguel Ponce, ex-subsecretário de Indústria e Comércio argentino, destacou em entrevista à Sputnik Mundo que desde a criação do Mercosul, o destino inicial de novo presidente brasileiro era a Argentina, tradição que começou entre Raúl Alfonsín e José Sarney e foi quebrada por Bolsonaro.

    Durante a visita, Bolsonaro não só fechou acordos políticos, como também obteve promessas de caráter econômico: obteve apoio dos EUA em aderir à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

    Sem dúvidas, o anúncio mais polêmico e conflituoso é que o gigante sul-americano prometeu comprar 750 mil toneladas de trigo norte-americano sem que os Estados Unidos pagassem tarifa de 10% estabelecida para compras do produto fora do Mercosul.

    Até agora, o Brasil compra principalmente da Argentina. De fato, durante 2018, o Brasil importou sete milhões de toneladas de trigo, tendo quase seis milhões sido compradas da Argentina.

    "Essa compra, à tarifa zero, como se fosse uma compra de um membro do Mercosul […] para nós é claramente uma violação do tratado, é uma violação das regras que devem ser tratadas entre os dois países e se isso também tiver sido feito sem qualquer tipo de aviso prévio, agrava a situação", disse Ponce.

    Miguel Ponce acredita que Bolsonaro esteja tentando degradar o Mercosul, ou seja, "levá-lo de um status determinado para um de menor valor institucional".

    Outros anúncios englobam a defesa: empresas brasileiras poderão participar de licitações do Pentágono e, ao mesmo tempo, terão a possibilidade de comprar equipamento militar americano a preços menores.

    Mais:

    'Frases de Bolsonaro sobre ditadura são infelizes', diz presidente do Chile
    Bolsonaro comemora aumento da procura para visitar Brasil após liberação de vistos
    Bolsonaro e Piñera descartam intervenção militar na Venezuela
    Tags:
    trigo, importação, comércio, Mercosul, Jair Bolsonaro, Donald Trump, EUA, Argentina, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar