03:36 17 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, com uma cópia da Constituição

    Maduro acusa EUA e Guaidó de arquitetar seu assassinato

    © REUTERS / Palácio de Miraflores
    Américas
    URL curta
    17182

    O presidente da Venezuela Nicolás Maduro acusou no sábado (23) os EUA e o líder da oposição e autoproclamado presidente venezuelano Juan Guaidó de preparar um plano para matar o presidente legítimo.

    "O imperialismo americano quer me matar. Nós acabamos de denunciar um plano liderado pela marionete diabólica [Juan Guaidó] para me assassinar. Temos as provas, mas eles não conseguiram e não conseguirão nos vencer, porque Deus nos protege", declarou Maduro no ar do canal de TV local discursando perante seus apoiantes.

    Maduro chamou Guaidó de "marionete diabólica" por várias vezes no decorrer do seu discurso.

    A Venezuela está em estado de crise política desde janeiro, quando o líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, se declarou presidente interino. Ele foi imediatamente reconhecido por 54 países, inclusive os EUA, que congelaram US$ 7 bilhões em ativos de petróleo do país e conclamaram o presidente legítimo, Nicolás Maduro, a renunciar imediatamente.

    Rússia, China, Cuba e vários outros países reafirmaram seu apoio a Nicolás Maduro como o único presidente legítimo da Venezuela e exigiram a não interferência nos assuntos internos do país. Maduro, por sua vez, acusa Guaidó de conspirar com os Estados Unidos para derrubar o governo legítimo do país, inclusive organizando a entrega de ajuda humanitária como parte de um plano para justificar a intervenção militar dos EUA.

    Mais:

    EUA estão por trás da criação do Prosul para pressionar Maduro, diz especialista
    Maduro acusa Trump de 'sequestrar' 5 bilhões de dólares destinados a medicamentos
    US$ 1 bilhão de ativos estatais da Venezuela caíram em contas da oposição, diz ministro
    Venezuela repudia sanções dos EUA contra Bandes e 4 importantes bancos do país
    Tags:
    plano, assassinato, Juan Guaidó, Nicolás Maduro, EUA, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar