12:43 21 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Um trabalhador caminha ao lado de um avião Boeing 737 MAX 8 estacionado.

    FBI se junta à investigação sobre certificação de segurança concedida ao Boeing 737 Max 8

    © AP Photo / Ted S. Warren
    Américas
    URL curta
    530

    O FBI teria se juntado à investigação federal sobre o processo de certificação dos Boeing 737 Max, depois que dois acidentes fatais nos últimos meses mataram 346 pessoas, revelou o Seattle Times.

    Uma investigação independente mostrou que o sistema de controle de voo pode ter apresentado falhas em ambos os acidentes, na Etiópia e na Indonésia. O relatório também critica o fato de que a Agência Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) delegue à própria fabricante — neste caso, a Boeing — conduza a análise dos modelos que ela mesmo fabrica.

    Engenheiros familiarizados com a análise de segurança que a Boeing apresentou à FAA disseram ao The Seattle Times que a o teste "subestimou o poder do novo sistema de controle de voo".

    Além disso, o Sistema de Aumento de Características de Manobra (MCAS), conseguiu mover a cauda do avião "quatro vezes mais do que foi declarado no documento inicial de análise de segurança". Além disso, a análise não levou em consideração como o sistema se auto-redefinia "a cada vez que um piloto respondia" ao software anti-estolagem, o que poderia fazê-lo abaixar repetidamente o nariz da nave.

    Na quarta-feira, a FAA anunciou que a Boeing está trabalhando em um boletim com instruções para as companhias aéreas sobre como instalar novos softwares de programas operacionais de controle de voo no Boeing 737 Max 8, informou a Reuters.

    A notícia vem a público depois que o Departamento de Transportes dos EUA (DoT) solicitou uma auditoria de como a FAA e a Boeing certificaram o 737 Max 8. Em um memorando divulgado nesta semana, a secretária de Transporte Elaine Chao solicitou que o inspetor-geral do DoT, Calvin Scovel, fizesse "um objetivo e histórico factual detalhado das atividades que resultaram na certificação da aeronave".

    Outra investigação separada já está em andamento pela Scovel e pela Divisão Criminal do Departamento de Justiça dos EUA. A agência AP informou que um júri federal em Washington, DC, emitiu intimação demandando "busca de e-mails, mensagens e outras comunicações" nas contas de um homem envolvido no desenvolvimento do avião.

    Tags:
    Sistema de Aumento de Características de Manobra (MCAS), Boeing 737, Agência Federal de Aviação dos Estados Unidos, Departamento de Transportes dos EUA, FAA, Boeing, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar