05:33 21 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Boeing 737 MAX

    Boeing planeja lançar novo software para modelo que caiu na África, diz mídia

    © AFP 2019 / Jason Redmond
    Américas
    URL curta
    912

    A empresa Boeing Co. (BA.N) tenciona atualizar o software para o Boeing 737 MAX nos próximos 7-10 dias, comunicou a agência Reuters citando uma fonte próxima ao assunto. Falhas no sistema dos aviões poderiam ter levado aos dois acidentes aéreos que envolveram esse modelo de aeronave.

    Segundo a Reuters, a empresa está atualizando o sistema antiestolagem e as telas dos pilotos.

    As semelhanças na trajetória de voo dos dois aviões que caíram levantaram novas questões sobre o sistema. Porém, ainda não há provas de que foi o software que causou as catástrofes.

    O primeiro acidente aéreo com a participação de um Boeing 737 MAX 8 aconteceu em outubro de 2018, quando um avião da companhia aérea indonésia Lion Air mergulhou no mar de Java pouco depois da decolagem, matando 189 pessoas. A causa da catástrofe foi considerada o ajustamento incorreto do sensor da velocidade da aeronave.

    O segundo acidente fatal ocorreu em 10 de março na Etiópia. Um avião do mesmo modelo, do voo ET 302 da Ethiopian Airlines, caiu logo após decolar de Addis Abeba. Todas as 157 pessoas a bordo do avião da companhia aérea etíope morreram no acidente.

    Em razão das recentes catástrofes, a Agência Europeia para a Segurança da Aviação (AESA) suspendeu todos os voos do Boeing 737 MAX na Europa. Após a União Europeia, também o Brasil, o México, a Rússia, a China e vários outros países decidiram banir temporariamente os voos de aeronaves desse modelo.

    Mais:

    Parceria Boeing-Embraer está em perigo com a crise dos 737 Max 8?
    Rússia fecha seu espaço aéreo aos Boeing 737 MAX
    Europa suspende todos os voos do Boeing 737 MAX no continente
    Boeing 737 MAX que voava a Tel Aviv está regressando a Estocolmo por questão de segurança
    Tags:
    acidente aéreo, falha, pilotos, atualização, software, Boeing
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar