14:16 19 Maio 2019
Ouvir Rádio
    O simbólico botão de reset apresentado ao Ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov pela ex-secretária de Estado dos EUA Hillary Clinton.

    Parlamentar russo comenta declaração dos EUA sobre direito a ataque nuclear preventivo

    © AFP 2019 / ALEXANDER NEMENOV
    Américas
    URL curta
    25937

    Anton Morozov, membro do Comitê de Assuntos Internacionais da Duma de Estado, comentou em entrevista à RT as palavras do general Joseph Dunford, do Corpo de Fuzileiros dos EUA, de que Washington não deve abandonar a política de ataque nuclear preventivo.

    Para o legislador russo, a declaração de Dunford confirma que a doutrina militar dos EUA, ao contrário da russa, inclui uma série de posições agressivas, que permitem usar armas nucleares.

    "A prática mostra que os EUA usam sempre a força, principalmente contra os países fracos, para minimizar os seus próprios riscos ligados à participação de conflitos militares", disse o deputado, acrescentando que a Rússia, sendo um país poderoso, não está em perigo.

    Morozov afirmou que Washington procura pôr em ação um conjunto de medidas para mostrar a sua superioridade militar.

    "Eles entenderam que a Rússia é um adversário sério do ponto de vista técnico-militar e se esforçarão por aumentar o seu potencial militar para manter o seu domínio e impedir mudanças no balanço de forças no mundo", concluiu ele.

    No fim de janeiro deste ano, foram apresentados no Congresso dos EUA dois projetos de lei sobre a limitação do direito do presidente quanto a um ataque nuclear preventivo. Joseph Dunford declarou durante a sua intervenção que a possibilidade de os EUA lançarem um ataque preventivo torna mais difícil, para o inimigo, a tomada de decisão quanto a atacar os EUA, por isso o país não deve abandonar essa política.

    Tais iniciativas não tiveram sucesso no passado, mas a situação mudou após Donald Trump chegar ao poder. Vários democratas norte-americanos opinam que é perigoso confiar o controle de armas nucleares a Trump.

    Mais:

    Ministro alemão cobra pressão sob a China para fazê-la dialogar sobre desarmamento nuclear
    Rússia apoiaria retorno dos EUA ao acordo nuclear com o Irã, diz diplomata
    Arma da Crise do Caribe: o míssil que poderia ter provocado guerra nuclear
    Especialista revela destino da Terra perante uma guerra nuclear entre Índia e Paquistão
    Tags:
    adversários, ataque preventivo, força, ataque nuclear, armas nucleares, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar