18:55 25 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Juan Guaidó, opositor venezuelano

    Era uma vez a vontade de depreciar Maduro: Guaidó cai na pegadinha de humoristas russos

    © REUTERS / Carlos Garcia Rawlins
    Américas
    URL curta
    1282

    Em 20 de fevereiro, Juan Guaidó afirmou ter falado com o presidente da Suíça, mas na realidade ele parece ter falado com os mesmos humoristas russos que ligaram para Elliott Abrams, enviado especial dos EUA à Venezuela.

    De acordo com reportagem publicada pelo canal de televisão russo Rossiya 24, por trás da voz do presidente suíço, Ueli Maurer, estão os humoristas russos Vovan (Vladimir Kuznetsov) e Lexus (Aleksei Stoliarov), que compartilharam a gravação da conversa. A Sputnik entrou em contato com os humoristas para saber mais sobre o diálogo com o autoproclamado presidente interino da Venezuela.

    De acordo com Vovan e Lexus, a conversa telefônica ocorreu depois que o encarregado de negócios da Venezuela nos Estados Unidos, Carlos Vecchio, nomeado por Juan Guaidó, entrou em contato com o "presidente da Suíça" para fornecer detalhes de contato do deputado da oposição e para marcar um horário para a conversa.

    Os humoristas indicam que o autoproclamado presidente insistia que o diálogo fosse realizado através do WhatsApp ou Skype, para evitar escuta. Durante a conversa de 20 de fevereiro, os russos garantiram a Guaidó que o governo suíço estava disposto a bloquear as contas de Nicolás Maduro nos bancos do país, mas isso exigiria um pedido oficial.

    Para isso, os autores da pegadinha enviaram a Guaidó um rascunho do pedido com até mesmo uma pista do que estava acontecendo. No documento, eles mencionaram um banco que não existe e que tem um nome um tanto suspeito: "Lexus Vovanial Bank Ltd". Eles também mencionaram a entidade fictícia Tender First Nurlan Baidilda Ltd. Na realidade, há apenas a Tender First, segundo Nurlan Baidilda, fundador da empresa.

    Juan Guaidó se referiu justamente a essa conversa quando afirmou ter falado com o presidente suíço Ueli Maurer sobre o bloqueio de ativos venezuelanos no país europeu. Obviamente, o chanceler suíço não demorou em negar as palavras de Guaidó e disse que não houve conversa nenhuma com Maurer. Apesar disso, os humoristas explicaram para a Sputnik que conseguiram controlar a situação não perdendo contato com Guaidó e Abrams.

    "Para não perder o controle da situação, escrevemos para Abrams que Guaidó cometeu um erro ao revelar tudo à imprensa. Afinal, a investigação das contas estava apenas começando e os assustados membros do clã de Maduro podiam retirar todo o dinheiro da Suíça. Supostamente é por isso que negamos as palavras de Guaidó sobre a conversa telefônica", disseram Lexus e Vovan a Abrams.

    Por sua vez, Elliott Abrams logo respondeu que a partir de agora tudo seria mantido em segredo e que diria a Guaidó "que seu comentário foi um erro que não deve ser repetido". Além disso, o enviado especial dos EUA à Venezuela pediu que o "presidente suíço" informe caso Guaidó atrase o envio dos documentos solicitados e prometeu "relembrá-lo".

    E-mail enviado por Abrams a Maurer
    © Foto : Lexus y Vovan
    E-mail enviado por Abrams a Maurer

    Em seguida, os humoristas contataram o embaixador Vecchio, que prometeu que "isso não aconteceria novamente" e assegurou ao 'presidente suíço' que Guaidó já estava preparando o documento. De fato, naquela mesma noite, o "encarregado de negócios" enviou o documento assinado por Juan Guaidó.

    • Pedido de bloqueio de supostas contas de Nicolás Maduro em bancos suíços enviado ao Presidente da Suíça
      Pedido de bloqueio de supostas contas de Nicolás Maduro em bancos suíços enviado ao "Presidente da Suíça"
      © Foto : Lexus y Vovan
    • Assinatura de Juan Guaidó no pedido enviado ao presidente da Suíça
      Assinatura de Juan Guaidó no pedido enviado ao "presidente da Suíça"
      © Foto : Lexus y Vovan
    1 / 2
    © Foto : Lexus y Vovan
    Pedido de bloqueio de supostas contas de Nicolás Maduro em bancos suíços enviado ao "Presidente da Suíça"

    No documento, escrito em espanhol e inglês, o presidente autoproclamado pede que as contas de Nicolás Maduro sejam bloqueadas em bancos suíços, incluindo o banco fictício Lexus Vovanial Ltd. Curiosamente, de acordo com a pegadinha, Abrams recomendou conversar novamente com Guaidó para ter certeza de que manteria tudo em segredo.

    A revista financeira Bloomberg não perdeu tempo e publicou um artigo baseado nas afirmações de Vecchio, intitulando a matéria de "Maduro poderia ter milhões no fundo Baidilda". Quando a fonte real desta informação se tornou pública, a Bloomberg foi forçada a mudar o título do artigo.

    O artigo da Bloomberg sobre Carlos Vecchio
    © Foto :
    O artigo da Bloomberg sobre Carlos Vecchio

    Anteriormente, foi publicada a conversa de Elliott Abrams com os humoristas russos Lexus e Vovan, que se passaram pelo presidente suíço Ueli Maurer. Esta conversa os levou a entrar em contato com Carlos Vecchio, que publicou no Twitter algumas informações recebidas do "presidente suíço".

    Mais:

    Mídia: Guaidó pretende vender reservas petrolíferas venezuelana às empresas estrangeiras
    Guaidó pede à Europa para apertar pressão sobre Maduro após a expulsão de enviado alemão
    Maduro acusa Pompeo de estar por trás do ataque que deixou a Venezuela no escuro
    Tags:
    contas bancárias, falsificação, bloqueio, Elliott Abrams, Juan Guaidó, Vovan, Lexus, Nicolás Maduro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar