03:26 21 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo (imagem de arquivo)

    Pompeo acusa Rússia e Cuba de minar democracia na Venezuela

    © flickr.com/ Gage Skidmore
    Américas
    URL curta
    2829

    O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, disse nesta segunda-feira que Cuba e Rússia estão minando a democracia na Venezuela, e não os Estados Unidos ou outros países que reconheceram o líder da oposição, Juan Guaidó, como autoproclamado presidente interino do país sul-americano.

    Durante coletiva de imprensa, o chefe da diplomacia dos EUA acusou Havana de ser "a verdadeira potência imperialista" na região, inclusive treinando agentes venezuelanos para a prática de tortura e outras arbitrariedades. 

    "Eu até ouço que Maduro não tem venezuelanos ao seu redor", disse Pompeo, sugerindo que os conselheiros do presidente Nicolás Maduro estariam sob a direção do governo cubano e culpando a ilha caribenha pelos problemas econômicos venezuelanos. "Quando não há eletricidade, agradeça às maravilhas modernas da eletricidade cubana… Quando não há comida, agradeça aos senhores comunistas cubanos."

    Além de Cuba, Pompeo também citou a Rússia como culpada pela crise na Venezuela, afirmando que Moscou, "por razões próprias, distorceu as esperanças legítimas do povo venezuelano" por democracia, ao continuar apoiando Maduro em vez de Guaidó. 

    Ainda segundo Pompeo, o governo russo estaria usando a rede de TV RT e a agência Sputnik como meios de distrair as pessoas sobre a crise, enquanto o Kremlin se mantém ao lado de seus "camaradas venezuelanos", na tentativa de atrapalhar a realização do desejo do povo. Já o governo norte-americano, ainda de acordo com ele, continua "muito transparente" quanto a suas ações.

    "Nicolás Maduro prometeu aos venezuelanos uma vida melhor em um paraíso socialista", disse Pompeo. "E ele entregou a parte do socialismo… A parte do paraíso, nem tanto", declarou o secretário.

    Mais:

    EUA incluem banco russo em novas sanções contra Venezuela
    Ex-relator da ONU na Venezuela sobre Maduro: 'meu medo é que ele possa ser assassinado'
    Exército da Venezuela introduz vigilância aérea sobre infraestruturas energéticas
    Vice-ministro russo chega ao Brasil para falar de Venezuela e BRICS
    Rússia promete defender investimentos petrolíferos na Venezuela 'custe o que custar'
    Maduro: 'ataques cibernéticos' impedem restabelecimento de energia na Venezuela
    EUA pressionam a Índia a interromper a compra de petróleo com a Venezuela
    Sem luz: sistema elétrico da Venezuela sofreu 3º ataque cibernético, diz Maduro
    Tags:
    crise, Juan Guaidó, Nicolás Maduro, Mike Pompeo, Havana, Caracas, Moscou, Washington, Venezuela, Cuba, Rússia, eua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar