18:47 15 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    421
    Nos siga no

    A plataforma de streaming de vídeo Netflix anunciou nesta quarta-feira (6) que vai produzir uma série baseada no livro "Cem Anos de Solidão" de Gabriel García Márquez (1927-2014).

    A série será a primeira a ser feita sobre o romance que rendeu o Prêmio Nobel a Garcia Márquez em 1982. A série será gravada em espanhol e principalmente em território colombiano.

    De acordo com Francisco Ramos, vice-presidente de conteúdo original em espanhol para Netflix, a empresa adquiriu os direitos de adaptação de "Cem Anos de Solidão" 'depois de observar a popularidade de programas como' Narcos' e do filme 'Roma'.

    Flávio Nantes Bolsonaro, do Partido Social Liberal (PSL), deputado estadual do Rio de Janeiro, em imagem de 15 de dezembro de 2014
    Rafael Wallace/ Alerj / http://fotospublicas.com/tre-rio-de-janeiro-conclui-processo-eleitoral-com-diplomacao-dos-eleitos/
    Rodrigo e Gonzalo García Barcha, filhos do escritor, vão atuar como produtores executivos da série, cujos protagonistas e roteiristas ainda são desconhecidos.

    "Durante décadas, nosso pai estava relutante em abrir mão dos direitos do filme Cem Anos de Solidão, porque ele acreditava impossível realizá-la dentro das limitações de tempo de um filme e pensava que os produzi-la em um idioma diferente do espanhol não lhe faria justiça", disse Rodrigo García, de acordo com um comunicado da Netflix.

    De acordo com a empresa, seus afiliados em todo o mundo "amam" ver conteúdo em espanhol, então confiam que o projeto é ideal para sua plataforma.

    Mais:

    Venezuela exige da Colômbia compromisso de não agressão para reabrir pontes na fronteira
    Assim militares venezuelanos isolam fronteira com Colômbia
    Guarda Nacional da Venezuela põe fim à violência na fronteira com a Colômbia
    Acompanhados pela polícia, diplomatas da Colômbia saem a pé da Venezuela
    Tags:
    streaming, séries por demanda, Cem Anos de Solidão, Gabriel Garcia Márquez, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar