15:38 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Guarda Nacional da Venezuela na fronteira com a Colômbia

    Ministro venezuelano: desertores recebem ofertas de US$ 20.000 por traição

    © REUTERS / Carlos Eduardo Ramirez
    Américas
    URL curta
    22414
    Nos siga no

    O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, afirmou que mais de 100 desertores da Guarda Nacional receberam a oferta de 20 mil dólares cada um por traição.

    Em entrevista à rede Telesur na quarta-feira (28), Padrino López confirmou que 109 guardas foram expulsos das Forças Armadas venezuelanas (FANB) após se considerarem desertores e cruzarem a fronteira com a Colômbia.

    O presidente venezuelano Nicolás Maduro ordenou que as autoridades tomassem medidas disciplinares e judiciais contra esses soldados, já que não podem ser militares "os que infamemente ultrajam o patriotismo e o amor à Pátria", disse ele.

    O ministro da Defesa chamou as promessas de falsas e ressaltou que tais ações não influem sobre a capacidade de combate do Exército, mas minam a unidade e o poder das Forças Armadas da Venezuela, alertando sobre novas situações.

    "Os que passaram a fronteira são jovens enganados e não nos fazem nenhuma mossa, para nós eles nunca foram soldados. Um soldado nunca se tornará mercenário, porque tem códigos internos, princípios, valores e patriotismo", declarou Padrino López.

    Anteriormente, o embaixador venezuelano na ONU, Samuel Moncada, chamou de absurdos os números de militares venezuelanos que teriam alegadamente desertado. O diretor de Migração da Colômbia Christian Kruger declarou antes que o número de militares que atravessaram a fronteira com a Colômbia ultrapassou 320 pessoas. Segundo o portal Analitica, são 567 soldados.

    Desde 21 de janeiro, a Venezuela vive um clima de grande tensão, com protestos antigovernamentais. No dia 23 de janeiro, o líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, se declarou presidente interino do país. Tal ação foi qualificada por Maduro como tentativa de golpe de Estado orquestrada por Washington.

    Os EUA e aproximadamente 50 países, inclusive o Brasil, reconheceram Guaidó como presidente da Venezuela. A Rússia, a China, Cuba, o México e outros países apoiam a permanência de Maduro.

    Mais:

    EUA armam 'exército de libertação' na Colômbia para invadir Venezuela, diz enviado na ONU
    Retomada de comércio entre Brasil e Venezuela depende de Caracas, diz economista
    Apoio militar da Rússia à Venezuela estará em pauta em reunião nesta sexta-feira
    Mídia alemã afirma que 'revolta' de Guaidó na Venezuela fracassou
    Tags:
    desertores, traição, ministro, soldados, fronteira, Colômbia, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar