10:23 18 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Fronteira entre Brasil e Venezuela

    12 militares desertores venezuelanos cruzam fronteira do Brasil

    © REUTERS / Bruno Kelly
    Américas
    URL curta
    1749

    O número de militares venezuelanos que desertaram das Forças Armadas da Venezuela rumo ao Brasil subiu para 12.

    "Desde o fechamento da fronteira, no dia 23 de fevereiro, 12 venezuelanos desertaram e buscaram refúgio no Brasil", segundo comunicado da Operação Acolhida, formada pelo Exército brasileiro para receber os imigrantes no estado de Roraima.

    De acordo com o comunicado, cinco venezuelanos cruzaram a fronteira, furando o bloqueio, após deixar as filas da Guarda Nacional Bolivariana. Outros seis militares haviam cometido o mesmo ato anteriormente.

    Os novos desertores "foram recebidos" e dirigidos até o posto militar em Pacaraima, onde as agências da ONU orientam os imigrantes venezuelanos a solicitarem refúgio no Brasil.

    Além dos militares venezuelanos, anteriormente, foram recebidos 184 brasileiros que estavam na Venezuela no momento em que a região fronteiriça foi fechada, devido ao decreto do governo de Nicolás Maduro.

    Entretanto, depois de diversas negociações diplomáticas entre os diplomatas brasileiros e os militares venezuelanos, foi concedida a permissão para os brasileiros regressarem ao país.

    A oposição venezuelana anunciou no último sábado (23) o ingresso dos carregamentos com alimentos e medicamentos doados pelos EUA e outros países, entretanto, recusados pelo presidente Nicolás Maduro, que considera a ação dos EUA como um "show para justificar uma intervenção no país".

    Por sua vez, a vice-presidente Delcy Rodríguez enfatizou que na Venezuela "não há crise humanitária", ressaltando que a ajuda humanitária só deve ser enviada em caso de catástrofes naturais e conflitos armados, conforme o direito internacional.

    Com isso, o governo venezuelano alertou que qualquer veículo que ingresse em seu território sem autorização será considerado alvo militar.

    Minutos depois da autoproclamação do opositor venezuelano Juan Guaidó, o presidente norte-americano, Donald Trump emitiu uma declaração reconhecendo-o como presidente interino do país, além de outros 50 países, posteriormente.

    Mais:

    Arreaza: veículos da 'ajuda humanitária' à Venezuela teriam material para 'fabricar armas'
    Risco regional afastou ideia de intervenção militar na Venezuela, diz parlamentar
    Maduro acusa EUA de fabricarem crise na Venezuela para lançar guerra na América do Sul
    Tags:
    desertores, militares, exército brasileiro, exército, Brasil, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar