16:57 15 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo (imagem de arquivo)

    Pompeo: EUA seguirão ajudando Cuba e Nicarágua no caminho para a democracia

    © flickr.com/ Gage Skidmore
    Américas
    URL curta
    21114
    Nos siga no

    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em entrevista à rede de televisão americana Telemundo, expressou a esperança de que não apenas a Venezuela, mas também a Nicarágua e Cuba percebam a necessidade de mudanças políticas em seus países.

    Mike Pompeo observou que os EUA, por sua vez, estão prontos para apoiar essas mudanças se os povos desses países o quiserem.

    "Espero que em cada um desses países os cidadãos entendam que o jugo do autoritarismo que lhes é imposto não é insuperável, que a corrupção desses regimes não é insuperável, que as difíceis condições de vida em que essas pessoas se encontram hoje não são insuperáveis, que há esperança de terem uma vida diferente, para que eles invistam seus esforços, sua boa vontade e sua humanidade em melhorar a sua situação política, tanto na Venezuela quanto na Nicarágua e em Cuba", disse Pompeo.

    Respondendo à pergunta da jornalista sobre se o governo Trump ajudaria essas pessoas no "caminho para a democracia", Pompeo respondeu: "Sim, o governo do presidente Trump tem feito isso e continuará a fazê-lo não apenas na Venezuela, mas também na Nicarágua e em Cuba".

    Recentemente, os Estados Unidos enviaram uma série de aviões militares para a Colômbia, que, segundo o Departamento de Estado, transportam ajuda humanitária. As autoridades venezuelanas dizem que tal é um pretexto para uma intervenção externa.

    No dia 23 de janeiro, o chefe da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, se declarou "presidente interino" do país durante um ato realizado nas ruas de Caracas.

    Os EUA, a União Europeia e uma série de países da América Latina, inclusive o Brasil, manifestaram seu apoio a Guaidó e à oposição venezuelana. Nicolás Maduro recebeu apoio da Rússia, Cuba, México, Bolívia, Nicarágua, Turquia e Irã. A Rússia, China e vários outros países apoiaram Nicolas Maduro como presidente legítimo da Venezuela.

    Mais:

    Pompeo cita 'células ativas' do Hezbollah na Venezuela como causadoras das ações dos EUA
    EUA poderiam atacar Venezuela através da Colômbia ou Brasil, segundo analista
    Mesmo com sanções, EUA importam 5 vezes mais petróleo da Venezuela em 2019
    Tags:
    democracia, povo, ajuda, Venezuela, Nicarágua, Cuba, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar