08:50 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Posto de controle fronteiriço de Pacaraima, Roraima (arquivo)

    Governador de Roraima: fronteira com Venezuela já foi fechada

    © Sputnik / Joan Royo Gual
    Américas
    URL curta
    7130
    Nos siga no

    O governador de Roraima, Antonio Denarium (PSL), afirmou que a fronteira entre o Brasil e a Venezuela já está fechada desde as 15h30 desta quinta-feira. Mais cedo, o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, havia anunciado que fecharia a conexão com o território brasileiro às 21 horas de Brasília.

    "Tive informações que há 30 minutos foi fechada a fronteira com a presença de blindados do governo da Venezuela", declarou o político ao Estadão/Broadcast. De acordo com o governador, que se encontra em Brasília, a ajuda humanitária prometida pelo Brasil aos venezuelanos está mantida, mas não há garantias de que a mesma conseguirá atravessar a fronteira. 

    "A fronteira entre o Brasil e a Venezuela é seca. Tem 1800 km de fronteira. Temos um grande número de venezuelanos na fronteira que moram do lado de cá, inclusive em abrigos, são mais de 5 mil venezuelanos em Boa vista e Pacaraima, vivendo como refugiados. A ajuda pode ser feita do lado de cá da fronteira", disse Denarium, citado pela reportagem

    Na última terça-feira, o governo brasileiro anunciou a formação de uma força-tarefa para levar ajuda humanitária à Venezuela, em parceria com os Estados Unidos. Atualmente, os EUA mantêm uma série de carregamentos ao longo da fronteira venezuelana com a Colômbia. No entanto, Caracas não permite a entrada dessa ajuda por acreditar que esse socorro não passa de uma estratégia norte-americana para uma possível invasão.

    Mais:

    Maduro anuncia chegada de 7,5 toneladas de medicamentos russos (VÍDEO)
    Vice-chanceler venezuelano: podemos nos defender, não precisamos de ajuda militar russa
    Rússia diz que EUA preparam provocações na fronteira da Venezuela
    Tags:
    ajuda humanitária, fronteira, Broadcast Político, Estadão, Pacaraima, Roraima, Caracas, Colômbia, EUA, Venezuela, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar