20:14 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Militares da Força Armada Nacional da República Bolivariana da Venezuela (arquivo)

    Vice-chanceler venezuelano: podemos nos defender, não precisamos de ajuda militar russa

    © REUTERS / Marco Bello TPX
    Américas
    URL curta
    30228
    Nos siga no

    A Venezuela não precisa pedir ajuda militar à Rússia, pois tem plenas condições de se defender sozinha. Foi o que garantiu em declarações à Sputnik, nesta quinta-feira, o vice-ministro venezuelano das Relações Exteriores, Yvan Gil Pinto.

    Nos últimos dias, os Estados Unidos vêm acumulando lotes de ajuda militar na fronteira venezuelana com a Colômbia, mas o presidente Nicolás Maduro não tem permitido a entrada desses carregamentos, alegando que essa seria na verdade uma manobra norte-americana para promover uma invasão com a consequente derrubada de seu governo. Washington, por sua vez, nega tais acusações, embora já tenha afirmado que todas as opções estão sobre a mesa no que se refere à possibilidade de mudança de poder em Caracas.

    Há quase um mês, o líder opositor Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, se autoproclamou chefe de Estado interino, recebendo o pronto apoio dos EUA, da Colômbia e do Brasil, entre outros países. Apesar dos apelos internos e externos por paz e conciliação, as tensões só aumentam na fronteira, conforme se aproxima o prazo dado pela oposição para que Maduro permita a entrada dos carregamentos internacionais, marcada para o próximo sábado. 

    Por enquanto, o atual presidente venezuelano vem mantendo seu controle de fato sobre o país graças ao apoio das Forças Armadas. Estas, no entanto, também vêm sendo pressionadas para mudar de lado, se aliando a Guaidó. Além do exército, o governo Maduro também conta com o apoio de potências estrangeiras como China e Rússia.

    "A Venezuela tem todas as capacidades para garantir a paz. E nós temos todas as capacidades para garantir que nenhuma agressão ocorra. Não precisamos de apoio militar porque estamos totalmente preparados para garantir a paz para o nosso povo", disse Yvan Gil Pinto ao ser questionado se Caracas pediria algum tipo de assistência militar a Moscou. 

    De acordo com o vice-chanceler, a alta cúpula política e militar do país está observando com muita atenção cada detalhe da atual situação e, caso alguma ameaça ocorra ao longo da fronteira colombiana, a Venezuela saberá tomar as medidas adequadas.

    Mais:

    Maduro anuncia fechamento de fronteira da Venezuela com Brasil
    Caracas: EUA usam países caribenhos para planejar suas operações contra Venezuela
    Adido militar da Venezuela na ONU reconhece Juan Guaidó como presidente, diz Bolton
    Venezuela suspende navegação de todos os portos após ameaça de ataques violentos
    Tags:
    Yvan Gil Pinto, Juan Guaidó, Nicolás Maduro, eua, Colômbia, Caracas, Venezuela, China, EUA, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar