00:46 25 Abril 2019
Ouvir Rádio
    #MeToo pichado em uma estátua em homenagem a foto famosa da 2ª Guerra Mundial.

    Estátua que retrata beijo no fim da 2ª Guerra é pichada com os dizeres '#MeToo' (FOTOS)

    © Twitter/ItsJeffHiggins
    Américas
    URL curta
    0 22

    A frase “#MeToo” foi pintada com spray em uma estátua à beira-mar que retrata um marinheiro beijando uma assistente de dentista no final da Segunda Guerra Mundial. A estátua de Sarasota, Flórida, recria uma foto icônica que se transformou em ícone da cultura americana.

    De acordo com o Departamento de Polícia de Sarasota, a polícia recebeu uma denúncia sobre um ato de vandalismo contra a estátua da "Renda Incondicional", localizada na North Gulfstream Avenue e Bayfront Drive. Quando os policiais chegaram ao local, encontraram a frase "#MeToo" pintada de vermelho na obra.

    A polícia não encontrou latas de tinta spray nas proximidades da estátua. Nenhum outro objeto na área foi considerado vandalizado, e não havia nenhum vídeo de câmeras de vigilância mostrando o incidente. Autoridades policiais acreditam que o ato vandalismo ocorreu em algum momento na segunda-feira.

    "O dano aproximado é estimado em mais de US$ 1.000, devido à grande área que o grafite cobre e aos recursos necessários para repará-lo", reportou o Departamento de Polícia de Sarasota em nota.

    O departamento de Obras Públicas da prefeitura de Sarasota retirou o grafite às 9h da quarta-feira.

    O movimento #MeToo se espalhou em outubro de 2018, depois que acusações de má conduta sexual contra o poderoso produtor de cinema e executivo Harvey Weinstein foram publicadas na revista The New Yorker.

    A frase, usada há muito tempo pela ativista social Tarana Burke, ganhou popularidade rapidamente quando Alyssa Milano a publicou em outubro para encorajar as mulheres a divulgar experiências de má conduta sexual, um esforço para demonstrar se tratar de um problema crônico na sociedade americana.

    A estátua da "Renda Incondicional" mostra George Mendonsa, oficial da Marinha dos EUA, agarrando e beijando Greta Zimmer Friedman, assistente de dentista em um uniforme de enfermeira, em 14 de agosto de 1945. Ela é baseada em uma fotografia tirada pelo fotógrafo americano Alfred Eisenstaedt, que capturou o momento no dia em que foi declarada a vitória sobre o Japão.

    A fotografia foi publicada na revista Life uma semana depois de ter sido tirada e transformou-se em um ícone cultural dos EUA.

    Críticos porém afirmam que tanto a fotografia quanto a estátua não devem ser comemoradas porque em uma entrevista de 2005, Friedman admitiu que quando Mendonsa a beijou naquele dia, ele era apenas um estranho que a agarrou.

    "Eu fui agarrada por um marinheiro, e não foi tanto um beijo, foi mais um ato de júbilo por ele não teve que voltar [para a guerra] Eu descobri mais tarde que ele estava feliz por não ter que voltar para o Pacífico. Esta a razão pela qual ele agarrou alguém vestida como uma enfermeira, porque ele se sentiu muito grato às enfermeiras que cuidaram dos feridos", disse Friedman na entrevista.

    Tags:
    Segunda Guerra Mundial, The New Yorker, Marinha dos EUA, Alfred Eisenstaedt, Greta Zimmer Friedman, George Mendonsa, Alyssa Milano, Tarana Burke, Harvey Weinstein, Sarasota, Estados Unidos, Flórida, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar