05:42 18 Fevereiro 2019
Ouvir Rádio
    Juan Guaidó, autoproclamado presidente da Venezuela, durante a entrevista à agência AFP em Caracas, em 8 de fevereiro de 2019

    Guaidó diz que bloqueio de ajuda humanitária é 'quase genocida'

    © AFP 2018/ YURI CORTEZ / AFP
    Américas
    URL curta
    1324

    O líder da oposição Juan Guaidó, reconhecido por cerca de 50 países como o presidente interino da Venezuela, advertiu neste domingo (10) os militares que bloquear a entrada da ajuda humanitária no país é um "crime contra a humanidade".

    A advertência ocorre quando a ajuda internacional tem sido o centro das atenções em um teste de poder entre Guaido e o presidente Nicolás Maduro.

    Medicina e alimentos enviados pelos Estados Unidos foram bloqueados durante três dias na fronteira em Cucuta, na Colômbia, depois que soldados venezuelanos fecharam a ponte entre os dois países.

    No lado venezuelano da fronteira, dezenas de médicos protestaram no domingo exigindo a ajuda — incluindo o cirurgião José Luis Mateus de la Riva, que acusou Maduro de levar a medicina venezuelana de volta a "era medieval".

    "Há pessoas responsáveis ​​por isso e o regime deveria saber disso", disse Guaidó depois de assistir à missa de domingo com sua esposa e bebê de 20 meses. "Isso é um crime contra a humanidade, homens das forças armadas."

    O opositor disse que o bloqueio era "quase genocida" e também que os militares seriam responsabilizados pela morte de manifestantes — e reafirmou seu apelo por uma marcha na terça-feira em memória das estimadas 40 pessoas mortas em distúrbios desde janeiro.

    Guaidó ofereceu anistia para qualquer membro das forças armadas que abandone Maduro — mas a liderança militar ainda apoia publicamente o presidente.

    No domingo, os militares venezuelanos anunciaram que começaram a realizar exercícios, programados até 15 de fevereiro em todo o país, para "reforçar a capacidade defensiva do país".

    Mais:

    Divulgados VÍDEOS da queda de suposto meteorito na Venezuela
    Venezuela dará início a 5 dias de exercícios militares
    Rússia prepara projeto de apoio à Venezuela no Conselho de Segurança da ONU, diz fonte
    China defende 'diálogo pacífico' para superar crise na Venezuela
    Petroleira da Venezuela quer substituir executivos dos EUA em subsidiária
    Guaidó não exclui 'autorizar' intervenção militar dos EUA na Venezuela
    Tags:
    Juan Guaidó, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik