23:40 23 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente russo Vladimir Putin com o presidente da Venezuela Nicolás Maduro (foto do arquivo)

    Especialista: alegadas dúvidas da Rússia quanto a Maduro são mera desinformação da mídia

    © Sputnik / Aleksei Kudenko
    Américas
    URL curta
    Crise política na Venezuela se agrava (163)
    9130
    Nos siga no

    Na mídia americana apareceram afirmações de que o Kremlin supostamente teria começado a duvidar da capacidade do atual presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, de manter o poder. O especialista Dmitry Ofitserov-Belsky comenta o tema à rádio Sputnik.

    A Bloomberg, por exemplo, escreve que a Rússia começou a se preocupar com o fato de que o regime de Nicolás Maduro na Venezuela não possa defender-se, citando duas fontes supostamente "próximas ao Kremlin". A agência observa que o Kremlin continua apoiando Maduro, mas as autoridades russas estão "reconhecendo cada vez mais" que o terrível estado da economia venezuelana reduz o apoio público ao atual presidente.

    Segundo Bloomberg, é muito dificil para Maduro recorrer ao recurso militar, já que o Exército venezuelano não está pronto para usar a força contra os cidadãos que tomam parte nos protestos. A Rússia não poderá prestar uma ajuda real a Maduro, escreve a Bloomberg, pois não será possível salvar a economia venezuelana e a assistência militar não é viável por causa da distância entre os países.

    Dmitry Ofitserov-Belsky, especialista no Instituto de Economia Mundial e Relações Internacionais da Academia de Ciências da Rússia, duvida das notícias publicadas pela Bloomberg.

    "Parece uma desinformação. Além disso, o que está acontecendo na Venezuela deve ser um assunto interno da Venezuela. Maduro vai manter o poder ou não — isso não é um assunto russo ou americano", disse Dmitry Ofitserov-Belsky.

    De acordo com especialista, dadas as dificuldades que Nicolás Maduro enfrenta, a séria pressão da oposição e o apoio da Europa ao autoproclamado líder, Juan Guaidó, será difícil para Maduro manter o poder.

    Ele também comentou as palavras do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que disse que a Venezuela, com a mudança de governo, deixará de "depender de Cuba e da Rússia".

    "Eu não acho que Pompeo tenha pensado bem antes de expressar essa ideia. Especialmente por a Venezuela nunca ter dependido de Cuba. Havia vínculos muito estreitos — em algum período na base do antiamericanismo, na base de Chávez considerar o líder da revolução cubana como seu mentor, mas não havia dependência ", disse Ofitserov-Belsky.

    Pelo contrário, afirma, por muito tempo, Cuba desfrutou de preços preferenciais do petróleo venezuelano. Ele acrescentou também que é bastante estranho que Pompeo não tenha mencionado a China, que fez enormes investimentos na economia venezuelana nas últimas duas décadas, muito mais do que a Rússia.

    Tema:
    Crise política na Venezuela se agrava (163)

    Mais:

    Crise venezuelana provoca dissidência dentro da União Europeia, diz mídia
    Maduro sobre declaração do Grupo de Lima: 'Não sabemos se devemos rir ou vomitar'
    Grupo de Lima prepara guerra contra Venezuela, diz ativista; Canadá descarta uso da força
    Tags:
    laços, desinformação, dúvidas, Rússia, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar