17:46 19 Maio 2019
Ouvir Rádio
    O presidente venezuelano, Nicolás Maduro

    Diplomata militar da Venezuela nos EUA diz não reconhecer governo Maduro

    © AP Photo / Ariana Cubillos
    Américas
    URL curta
    Crise política na Venezuela se agrava (163)
    381025

    O Coronel José Luís Silva, um adido militar na embaixada venezuelana em Washington, disse neste sábado (26) a um jornal dos EUA de língua espanhola, o El Nuevo Herald, que ele não reconhece Nicolás Maduro como presidente da Venezuela.

    "Enquanto adido venezuelano de Defesa nos Estados Unidos, eu não reconheço o Sr. Nicolás Maduro como o presidente da Venezuela […]. Minha mensagem a todos os membros das Forças Armadas, a todos que carregam uma arma, é para, por favor, não machucarem o povo, e que já estamos cheios de apoiar um governo que traiu os princípios mais básicos e se vendeu para outros países", disse Silva.

    Na terça-feira (22), a situação política na Venezuela, que tem assistido a protestos de massa desde o começo da semana, se agravou. Isso porque a Assembleia Nacional venezuelana declarou o presidente Nicolás Maduro um usurpador.

    No dia seguinte, o líder parlamentar Juan Guaidó se autoproclamou presidente interino da Venezuela, recebendo apoio de países como Estados Unidos, Brasil, Chile, Colômbia e Argentina.

    Maduro venceu as últimas eleições presidenciais no país e assumiu seu segundo mandato em na primeira quinzena de janeiro. Seu mandato é apoiado pela Rússia, China, Uruguai, Cuba, Bolívia e outros países.

    Maduro acusa os Estados Unidos de orquestrarem um golpe de Estado na Venezuela, e cortou relações diplomáticas com os norte-americanos. O presidente venezuelano também determinou que os diplomatas dos EUA deixem o país em até 72 horas, o que Washington se recursou a fazer.

    A Rússia afirmou oficialmente que apenas reconhece Maduro como o presidente legitimamente eleito da Venezuela, alertando contra qualquer tipo de interferência ou intervenção.

    Tema:
    Crise política na Venezuela se agrava (163)

    Mais:

    Pompeo evita especular sobre invasão militar dos EUA na Venezuela
    EUA estão dispostos a debater com a Rússia situação na Venezuela
    Embaixador da Rússia na ONU: EUA tentam fazer golpe de Estado na Venezuela
    Colômbia não planeja conceder a EUA bases para invasão da Venezuela
    Tags:
    crise na venezuela, José Luís Silva, Nicolás Maduro, Estados Unidos, Chile, Colômbia, Bolívia, Cuba, Washington, Argentina, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar