00:43 19 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Manifestantes enfrentam policiais durante uma manifestação para pedir a remoção do presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, do cargo (arquivo)

    Rússia critica 'interferência de outros países' em assuntos internos da Venezuela

    © REUTERS / Carlos Garcia Rawlins
    Américas
    URL curta
    Crise política na Venezuela se agrava (163)
    21174

    A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, criticou a interferência do Ocidente nos assuntos internos da Venezuela. Mais cedo, Nicolás Maduro anunciou o rompimento das relações diplomáticas com os Estados Unidos como retaliação pelo reconhecimento de Juan Guaidó como presidente interino venezuelano.

    "Os eventos na Venezuela mostram como a comunidade ocidental progressista está realmente lidando com o direito internacional, a soberania e a não-interferência nos assuntos internos dos Estados, deliberadamente mudando o poder lá", escreveu Zakharova em sua página no Facebook.

    A situação na Venezuela piorou consideravelmente após a posse de Nicolás Maduro, reconduzido ao poder no último dia 10 de janeiro. Países membros do Grupo de Lima — entre eles o Brasil — decidiram não reconhecer o novo mandato. Posteriormente, Brasil, Paraguai, Canadá e Estados Unidos decidiram reconhecer o presidente da Assembleia Nacional destituída, Juan Guaidó como o presidente interino do país.

    Tema:
    Crise política na Venezuela se agrava (163)

    Mais:

    Rússia mantém reconhecimento de Maduro como presidente legítimo da Venezuela
    OEA reconhece Guaidó como presidente da Venezuela
    Chanceler do Brasil já chama Maduro de 'ex-presidente da Venezuela'
    Presidente do Parlamento da Venezuela se manifesta contra um golpe de Estado
    Após levante, Venezuela prende 27 militares
    Tags:
    Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Grupo de Lima, Maria Zakharova, Nicolás Maduro, Venezuela, Estados Unidos, Canadá, Paraguai, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar