03:34 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    4120
    Nos siga no

    Os países latino-americanos que não obedecem aos Estados Unidos enfrentam intensas campanhas de propaganda e descrédito, disse o jornalista uruguaio Alberto Grille, diretor da revista Caras y Caretas, durante fórum internacional sobre os desafios do jornalismo realizado em Havana.

    "Atualmente, é evidente que todos os processos políticos latino-americanos que ignoraram a voz de comando dos Estados Unidos e afetaram os interesses de grupos econômicos poderosos enfrentam intensas campanhas de propaganda e descrédito", disse o comunicador uruguaio.

    Grille insistiu na urgência de encontrar respostas para enfrentar essas campanhas e articular estratégias baseadas na solidariedade e colaboração entre os profissionais do jornalismo de esquerda na América Latina, levando em conta que o impacto dessas guerras midiáticas "tem sido devastador".

    Por sua vez, ele alertou para os enormes desafios colocados pelas novas tecnologias de informação e comunicação no atual contexto midiático, caracterizado por uma agressividade midiática estruturada a partir dos centros de poder da extrema direita.

    Ele também destacou a importância da Operação Verdade, em seu 60º aniversário, uma reunião histórica realizada em janeiro de 1959 em Havana, que reuniu mais de 400 jornalistas de todo o mundo para desmantelar as campanhas de desinformação contra a ilha.

    "Cuba experimentou", enfatizou Grille, "desde o alvorecer da Revolução (em 1959) o caráter perverso da grande mídia do mundo, particularmente dos Estados Unidos".

    O fórum internacional, que começou na segunda-feira e termina na terça-feira, reúne representantes da Argentina, Brasil, Bulgária, Colômbia, Cuba, Chile, Espanha, Estados Unidos, Peru, Porto Rico, Uruguai, Rússia e Venezuela, entre outros países.

    Mais:

    'Declarações de propaganda', diz analista sobre alegado fracasso da venda dos S-400
    SBT veicula propaganda com slogan da Ditadura Militar (VÍDEO)
    Propaganda norte-coreana deixa de odiar EUA?
    Seul removerá alto-falantes de propaganda da fronteira com a Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar