14:22 18 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Bandeira americana é vista ao lado do emblema nacional chinês durante uma cerimônia de boas-vindas ao presidente dos EUA, Donald Trump, do lado de fora do Grande Salão do Povo em Pequim (arquivo)

    Pequim pede que Washington encerre guerra comercial contra a China

    © AP Photo / Andy Wong
    Américas
    URL curta
    660

    O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse que alguns representantes do governo dos EUA expressaram preocupações de que a China tentasse se tornar um Estado usurpador. Ele rejeitou as alegações dizendo que a China clama por um caminho pacífico das hostilidades baseada na estratégia de cooperação.

    O ministro das Relações Exteriores da China concedeu entrevista a uma edição especial do jornal People's Daily, dedicado ao 40º aniversário do estabelecimento de laços diplomáticos sino-americanos. Na ocasião, ele expressou o desejo de Pequim em chegar a um acordo com Washington sobre questões comerciais o mais rápido possível.

    "Os dois lados precisam fazer concessões e chegar ao acordo o mais rápido possível, trazendo boas notícias para os povos dos dois países", disse Wang.

    O principal diplomata chinês também notou um progresso significativo nas consultas comerciais bilaterais, acrescentando que ambos os lados buscaram expandir a cooperação bilateral.

    EUA e China travam uma guerra comercial desde que Trump anunciou em junho um imposto de 25% sobre o valor de US$ 50 bilhões em importações chinesas, em uma tentativa de reparar o déficit comercial dos dois países. Desde então, chineses e americanos ativaram várias rodadas de tarifas comerciais adicionais, cobrando taxas na casa das centenas de bilhões de dólares.

    No final de dezembro, os Estados Unidos impuseram tarifas de aproximadamente US$ 250 bilhões em importações chinesas e ameaçaram aplicar a medida a outros US$ 267 bilhões. Para se ter uma escala do tamanho do dano, os Estados Unidos importam mais de US$ 500 bilhões em produtos da China anualmente.

    Perto do final de 2018, no entanto, os dois lados também fizeram progressos em direção a um acordo. Em 1º de dezembro, durante uma reunião à margem da cúpula do G20 na capital argentina de Buenos Aires, Trump e o presidente chinês Xi Jinping chegaram a uma trégua e concordaram em desescalar a guerra comercial.

    Donald Trump disse segunda-feira que os Estados Unidos chegariam a um acordo comercial com a China, dizendo que o país "quer negociar".

    Tags:
    Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Yi, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar