11:13 24 Junho 2019
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA, Donald Trump, discursa durante visita às tropas norte-americanas no Iraque.

    Em discurso na televisão, Trump pede US$ 5,7 bilhões para construção de muro na fronteira

    © AP Photo / Andrew Harnik
    Américas
    URL curta
    513

    O presidente Donald Trump pediu ao Congresso US$ 5,7 bilhões este ano para ajudar a construir um muro na fronteira dos EUA com o México, mas não chegou a declarar uma emergência nacional para pagar pela obra com fundos militares.

    Enfrentando a oposição democrata no Congresso, Trump disse em discurso no horário nobre na televisão que havia uma crescente crise de segurança na fronteira dos EUA com o México.

    Usando uma linguagem contundente na tentativa de obter apoio público, Trump disse que imigrantes ilegais e drogas fluindo pela fronteira sul representam uma séria ameaça à segurança americana.

    "Quanto mais sangue americano será derramado antes que o Congresso faça seu trabalho?", disse o presidente antes de detalhar crimes violentos cometidos por imigrantes ilegais.

    Mas depois de dias insinuando que ele poderia usar os poderes presidenciais para declarar uma emergência para direcionar dinheiro para o muro sem a aprovação do Congresso, Trump disse que continuaria buscando uma solução para o impasse com o Congresso.

    Trump visitará a fronteira sudoeste na quinta-feira e não ficou claro se ele ainda pode optar por fazer a declaração de emergência nacional.

    As declarações de Trump ocorreram 18 dias após a paralisação parcial do governo, causada pelo impasse sobre o financiamento do muro, que ele disse ser necessário para impedir a entrada de imigrantes ilegais e drogas.

    Democratas e outros oponentes do muro ameaçaram tomar medidas legais se Trump declarasse emergência nacional.

    Eles dizem que o presidente republicano está usando falsas alegações e fabricando uma crise para cumprir sua promessa de campanha presidencial.

    Trump havia prometido que o México pagaria pela obra, mas o governo mexicano se recusou a fornecer esses fundos.

    Na esperança de demonstrar flexibilidade durante seu discurso de quase 10 minutos, Trump disse que a barreira fronteiriça que ele quer construir será de aço, e não de concreto, após pedido dos democratas.

    Mas os democratas se opuseram não apenas aos materiais de construção a serem usados, mas à extensão de um projeto que pode acabar custando mais de US$ 24 bilhões a longo prazo.

    Os democratas também argumentam que uma mistura de cercas e ferramentas de alta tecnologia, que já foi construída em muitas partes da fronteira, seriam mais baratas e eficazes.

    O líder democrata no Senado, Chuck Schumer, e a presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, apresentaram refutações na televisão ao discurso de Trump.

    Pelosi notou que Trump rejeitou o acordo bipartidária para reabrir as agências governamentais fechadas como resultado da paralisação governamental. 

    Ela culpou a "obsessão de Trump em forçar os contribuintes americanos a desperdiçar bilhões de dólares em um muro caro e ineficaz — um muro que ele sempre prometeu que o México pagaria".

    Mais:

    Tensão Turquia-EUA: Erdogan rejeita pedido de reunião com assessor de Trump
    Muro EUA-México: Pence reafirma que Trump pode declarar emergência nacional
    Trump afirma que negociação comercial com a China vai 'muito bem'
    Trump cita 'crise nacional de segurança' e anuncia pronunciamento à nação
    Casa Branca nega que Trump 'mudou de ideia' sobre a Síria
    Trump: EUA deixará a Síria 'no ritmo correto', mas continua lutando contra Daesh
    Tags:
    Nancy Pelosi, Donald Trump, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar