23:07 23 Janeiro 2019
Ouvir Rádio
    Bandeira dos EUA junto a emblema nacional da China (foto de arquivo)

    Nova 'guerra': EUA lançam alerta para cidadãos que vão viajar para a China

    © AP Photo / Andy Wong
    Américas
    URL curta
    10103

    O Departamento de Estado dos EUA emitiu uma advertência para os cidadãos norte-americanos que viajam para a China para irem com mais cautela, acusando Pequim de "imposição arbitrária de leis locais".

    As autoridades norte-americanas emitiram o alerta de viagem de nível 2 nesta quinta-feira, sugerindo que aqueles que planejam visitar a China procedam com maior cautela. O alerta alega que a China "reivindicou ampla autoridade" ao deter cidadãos americanos e não permitir que eles deixassem o país.

    O alerta também sugere que o envio de mensagens eletrônicas que critiquem o governo chinês pode ser suficiente para provocar detenção ou deportação. Eles alegam que as autoridades chinesas podem negar aos detidos acesso aos serviços consulares dos EUA ou submetê-los a "interrogatórios prolongados e prisões prolongadas".

    As autoridades dos EUA recomendam que as pessoas carreguem seus passaportes com eles o tempo todo e registrem sua viagem com o programa "viagem inteligente" do governo.

    Isso ocorre no mesmo dia em que um promotor público de Pequim afirmou que dois cidadãos canadenses detidos em meados de dezembro tinham "sem dúvida" violado a lei chinesa, apesar de as acusações oficiais ainda não terem sido arquivadas.

    Embora ambos os lados neguem que o caso esteja ligado à detenção da executiva da Huawei, Meng Wanzhou, no Canadá, nove dias antes, muitos especulam que a detenção foi realizada em retaliação. O movimento internacional vem contra um contexto mais amplo de continuado conflito comercial entre a China e os EUA, que registrou as acusações originais contra Meng.

    O Departamento de Estado dos EUA introduziu um sistema de advertência de viagem de quatro níveis, codificado por cores em 2018. O Nível 1 aconselha os viajantes a "tomarem as precauções normais", e aplica-se a países como Áustria, Bélgica e Estônia. O nível 2 recomenda que os viajantes "exerçam maior cautela", como é o caso da China. O nível 3 pede que os americanos "reconsiderem a viagem" para países como o Haiti e o Paquistão, enquanto o nível 4 simplesmente avisa "não viaje" e aplica-se a 11 países, incluindo Iraque, Afeganistão e Coreia do Norte.

    Mais:

    China apoia continuação do diálogo entre EUA e Coreia do Norte
    Analista: saída dos EUA da Parceria Transpacífico permite à China dominar no Pacífico
    Quando China superará EUA como a maior economia do mundo?
    Tags:
    relações bilaterais, polêmica, alerta de viagem, viagem, retaliação, Departamento de Estado dos EUA, China, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik