22:18 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Tu-160 (imagem referencial)

    Defesa colombiana: país não se deixará provocar pela Venezuela com apoio da Rússia

    © flickr.com / Rob Schleiffert
    Américas
    URL curta
    462350

    A Colômbia não permitirá que a Venezuela realize provocações com a assistência da Rússia, que recentemente enviou a Caracas bombardeiros estratégicos Tu-160, disse o ministro da Defesa colombiano, Guillermo Botero.

    A declaração apareceu depois que o ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, afirmou que a presença de aeronaves russas no país não representa ameaça para outros países, acrescentando que os voos conjuntos com aviões russos visam preparar a Venezuela para se proteger de qualquer agressão.

    "A Colômbia não é um país provocador, nem provoca, nem permite ser provocado. A Colômbia não se deixa amedrontar, mas também não se deixa provocar nem sai para provocar os vizinhos, nenhum dos nossos vizinhos", disse Botero à rádio W da Colômbia.

    O envio de bombardeiros estratégicos Tu-160 de Rússia à Venezuela deu origem a críticas por parte do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que caracterizou esta ação como um desperdício de recursos públicos.

    No mesmo tempo o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu explicou que o envio de aeronaves foi realizado em estrita concordância com as regulamentações internacionais de uso do espaço aéreo.

    Em 10 de dezembro, dois bombardeiros estratégicos russos Tu-160, um avião de transporte militar An-124 e uma aeronave IL-62 realizaram um voo da Rússia à Venezuela, percorrendo a distância total de 10 mil quilômetros. Os aviões russos deverão participar de treinamentos militares junto com as forças venezuelanas.

    Mais:

    'Maior desespero dos EUA': analista sobre planos americanos na Venezuela
    Distância não é obstáculo: analista ressalta importância de envio de Tu-160 à Venezuela
    2 bombardeiros russos Tu-160 visitam a Venezuela (VÍDEO)
    Tags:
    voo, provocação, bombardeiros, Guillermo Botero, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar