02:15 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Delegados assistem discurso do conselheiro de Estado da China, Yang, e do vice-secretário de Estado americano, Burns, numa sessão do S & ED em Washington

    Lavrov: 'Guerras comerciais dos EUA obstruem a transparência do mercado global'

    © REUTERS / Jonathan Ernst/File Photo
    Américas
    URL curta
    4100
    Nos siga no

    A Rússia espera que o sistema de comércio global seja aberto, mas as políticas comerciais dos EUA não contribuem para mercados transparentes, disse o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, neste domingo.

    "Queremos que o sistema de comércio global permaneça aberto, que ele permaneça funcionando. É claro que isso não é facilitado pelas ações de Washington, que já reestruturou a zona de livre comércio norte-americana e abandonou a Parceria Trans-Pacífico", declarou o ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, à agência de notícias cazaque Khabar.

    Segundo o ministro, os Estados Unidos permitem que seu presidente Donald Trump tome decisões importantes por conta própria, sem levar em consideração as estruturas internacionais e os compromissos de longa data. Comentando a posição da Rússia na disputa comercial entre a China e os Estados Unidos, Lavrov disse que Moscou não tem intenção de favorecer nenhum partido.

    "Queremos resolver os problemas não se unindo a uma guerra comercial ao lado de alguém, mas usando procedimentos legítimos da Organização Mundial do Comércio, como já fazemos. Isso é também o que a China e a União Europeia estão fazendo em relação aos Estados Unidos", Lavrov disse.

    Lavrov concluiu expressando confiança de que o governo dos EUA entenderia a importância de "trabalhar coletivamente e seguir as regras desenvolvidas há décadas pela Organização Mundial do Comércio".

    Desde o ano passado, o governo Trump vem travando guerras comerciais em todo o mundo, incluindo disputas comerciais com seus principais parceiros causadas pelas tarifas sobre aço e alumínio importados. Uma das discordâncias comerciais mais contínuas é a linha EUA-China, que começou em março e foi exacerbada nos últimos meses por direitos mútuos sobre bens importados.

    Tags:
    Khabar, Organização Mundial do Comércio, União Europeia, Donald Trump, Sergei Lavrov, Rússia, Moscou, China, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar