21:11 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    O porta-voz da Marinha argentina, Enrique Balbi, mostrando as imagens dos restos do submarino ARA San Juan

    Marinha argentina publica FOTOS do submarino ARA San Juan naufragado

    © AFP 2018 / Alejandro Pagni
    Américas
    URL curta
    0 22

    A Marinha da Argentina publicou no seu Twitter fotos do submarino ARA San Juan, que se afundou há um ano e acaba de ser descoberto.

    As imagens mostram uma parte da carcaça destruída do submarino e a hélice.

    "Além disso, foram identificadas outras partes do submarino de menores dimensões e formas, coincidentes com a secção da proa, da popa e da vela", diz a publicação no Twitter.

    Outra postagem mostra uma secção maior do submarino, constituída pelo casco feito de aço especial de 33 milímetros, a uma profundidade de 907 metros. Segundo explica a Marinha, é o setor habitável do submarino, onde estão as baterias e todos os sistemas e equipamentos.

    No sábado, a Marinha argentina anunciou ter encontrado o submarino desaparecido ARA San Juan. Sua localização foi detectada graças à empresa Ocean Infinity.

    O ARA San Juan, com 44 tripulantes a bordo, parou de emitir sinais de comunicação em 15 de novembro de 2017, durante uma patrulha de rotina no Atlântico Sul, perto da costa da Argentina.

    Na sequência do desaparecimento, foi lançada uma grande operação internacional de busca e resgate envolvendo embarcações e equipamentos de diferentes países. Em 30 de novembro, a Marinha da Argentina anunciou o encerramento das suas atividades de resgate, mas destacou que os trabalhos para localizar o submarino iriam continuar.

    Segundo os últimos dados, o submarino teria se acidentado devido a uma implosão.

    Mais:

    'Nos mentiram na cara': advogada critica atuação das autoridades na descoberta do San Juan
    San Juan: pai de tripulante revela 'farsa' de Macri enquanto Marinha duvida de resgate
    Tags:
    descoberta, destroços, submarino, ARA San Juan, Marinha da Argentina, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik