18:33 17 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Exército dos EUA

    Mídia indica os problemas mais graves das Forças Armadas dos EUA

    © AP Photo / Mindaugas Kulbis
    Américas
    URL curta
    1015

    Problemas graves do exército norte-americano, devido aos quais os EUA correm o risco de serem derrotados em caso de guerra com a Rússia ou a China, estão associados à falta de forças e recursos, escreve o The National Interest.

    O jornal refere que a "crise grave" na defesa nacional dos Estados Unidos está sobretudo ligado ao fato de Washington necessitar de manter um grande contingente militar para se opor às chamadas "cinco ameaças principais" — Rússia, China, Irã, Coreia do Norte e o terrorismo internacional. Não obstante, no momento o número de tropas estadunidenses está no seu nível mais baixo desde o final da Segunda Guerra Mundial.

    A revista lembra que vários especialistas governamentais e independentes apontaram repetidamente para esse problema. Por exemplo, a Marinha dos EUA afirma que precisa de 355 navios de guerra para cumprir a estratégia de defesa nacional — mas atualmente conta com apenas 286. A Força Aérea do país necessita 386 esquadrões, mas agora só tem 312. O Exército estadunidense, por sua vez, considera que precisa de 500 mil soldados, contra os 476 mil atuais.

    Nessa conexão, a edição enfatiza que o número de tropas, bem como sua prontidão de combate e nível de modernização, foram afetados negativamente pela redução dos gastos no orçamento de defesa. A lei de controle orçamentário, aprovada em 2011, resultou em que os gastos do Pentágono foram reduzidos em US$ 539 bilhões (R$ 2,017 trilhões).

    O secretário de Defesa, James Mattis, apontou para este problema e destacou que, para transformar as Forças Armadas até ao nível exigido, é necessário um aumento anual dos gastos com a defesa em 3-5%. No entanto, as despesas foram se reduzindo, mesmo antes de o presidente estadunidense, Donald Trump, ter anunciado que o orçamento do Pentágono seria reduzido em 4,5% no ano fiscal de 2020.

    Além disso, entre os problemas do exército norte-americano o jornal nomeia a insuficiência do contingente desse país na Europa e na região do Indo-Pacífico, bem como a falta de uma estratégia para se opor à Rússia e à China.

    De acordo com o orçamento de Defesa para 2019 dos EUA, que começou a ser cumprido em outubro de 2018, em breve a Agência de Defesa contra Mísseis dos EUA deverá começar os trabalhos para posicionamento de sistemas de detecção e intercepção de mísseis balísticos no espaço.

    Segundo o documento, o desenvolvimento e implementação de uma "arquitetura espacial sensorial estável" devem ser concluídos até 31 de dezembro de 2022, enquanto os meios de intercepção podem ser posicionados posteriormente.

    Mais:

    Secretário de Estado dos EUA promete ajudar Ucrânia na luta contra 'agressão russa'
    Inverno nos EUA pode levar o país a importar gás liquefeito da Rússia?
    EUA não querem instalar 'Forte Trump' na Polônia, relata mídia
    Tags:
    gastos militares, crise, problemas, Exército dos EUA, Pentágono, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik