16:40 18 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Imigrantes venezuelanos no estado de Roraima, Brasil (arquivo)

    3 milhões de migrantes e refugiados já deixaram a Venezuela, diz ONU

    © AP Photo / Eraldo Peres
    Américas
    URL curta
    620

    O número de migrantes e refugiados venezuelanos chegou a 3 milhões, afirmou a Organização das Nações Unidas (ONU) nesta quinta-feira (8).

    2,4 milhões destas pessoas estão na América Latina e Caribe, e o resto está dividido por outras partes do mundo, diz a ONU.

    Citando dados de autoridades nacionais de imigração e outras fontes, a ONU afirma que a Colômbia tem o maior número de refugiados e migrantes da Venezuela, com mais de 1 milhão. O Peru é o próximo com mais de 500 mil. Os outros países que mais receberam venezuelanos são: Equador (220 mil), Argentina (130 mil), Chile (100 mil), Panamá (94 mil) e Brasil (85 mil).

    "Os países da América Latina e do Caribe mantiveram amplamente uma louvável política de portas abertas para os refugiados e migrantes da Venezuela", disse Eduardo Stein, representante especial da ONU sobre a questão venezuelana.

    Mas ele alertou que "a capacidade de recepção está tensionada, exigindo uma resposta mais robusta e imediata da comunidade internacional para que essa generosidade e solidariedade continuem".

    Governos da região se reuniram no Equador em setembro e devem realizar uma segunda reunião entre os dias 22 e 23 de novembro.

    A maioria dos migrantes diz que está fugindo da economia implodida da Venezuela. O país já foi uma das nações mais prósperas da América Latina e possui as maiores reservas de petróleo do mundo, mas uma queda nos preços da commodity, acompanhada de corrupção e má gestão, deixaram a economia em crise.

    O governo nega que haja uma crise migratória e o presidente Nicolás Maduro pediu que os emigrados de seu país "parem de limpar banheiros no exterior" e voltem para casa.

    Mais:

    Venezuela quer repatriar US$ 550 milhões em reservas de ouro do Reino Unido, relata mídia
    Plano de Poupança em Petro: Venezuela inicia venda de criptomoeda via moeda nacional
    Venezuela usa seu petróleo bruto para contornar sanções dos EUA
    Banco Mundial: êxodo da Venezuela custará à Colômbia até US$ 1 bilhão
    EUA impõem novas sanções à Venezuela e indicam que Cuba e Nicarágua são as próximas
    Tags:
    Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik