07:42 16 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Estatal de petróleo venezuelana PDVSA

    Venezuela usa seu petróleo bruto para contornar sanções dos EUA

    © NASA . Ivan Alvarado
    Américas
    URL curta
    8103

    A Venezuela desenvolveu mecanismos especiais que permitem ao país continuar negociando com parceiros estrangeiros, apesar das penalidades existentes e iminentes introduzidas pelos Estados Unidos.

    Caracas planeja trocar o petróleo bruto do país por produtos importados, segundo Jesus Faria, vice-presidente encarregado dos assuntos econômicos do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV).

    "O petróleo é nosso principal recurso para participar do comércio internacional. Sem dúvida, estamos tentando usá-lo para resistir à pressão externa" declarou Faria. "Desenvolvemos alguns mecanismos, projetos sobre possíveis permutas de nosso petróleo bruto por produtos. No entanto, não vemos esse mecanismo como a única saída".

    De acordo com o funcionário, o lançamento do El Petro, o primeiro criptomoeda apoiado pelo petróleo patrocinado pelo Estado, deve ajudar o governo venezuelano a combater a difícil situação econômica.

    "Além disso, aprovamos um ato legislativo com o objetivo de rejeitar o dólar americano em negócios e transações internacionais", comentou Faria.

    A República Bolivariana está atualmente passando por uma das piores crises econômicas da história, com a hiperinflação rumando a 1.000.000% até o final do ano, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI). Milhares de pessoas estão supostamente fugindo da pobreza para países vizinhos. Nos últimos anos, a Venezuela tornou-se sujeita a numerosas sanções dos EUA, atingindo as finanças do país e a emissão de dívida, bem como a estatal petrolífera PDVSA.

    Washington acusa o governo venezuelano de violar os direitos humanos e minar a democracia. Os cidadãos dos EUA estão atualmente proibidos de comprar dívidas recém-emitidas da Venezuela e de suas empresas estatais. Os EUA continuam sendo o principal importador de petróleo da Venezuela, e Washington tem relutado em aplicar quaisquer penalidades diretas à indústria petrolífera do país.

    No início desta semana, a Casa Branca introduziu outra proibição, desta vez — em lidar com entidades e pessoas envolvidas com as vendas de ouro da Venezuela, que os EUA descrevem como "corruptas ou enganosas".

    Mais:

    Mourão defende pressão diplomática contra Venezuela e critica 'antiamericanismo infantil'
    Banco Mundial: êxodo da Venezuela custará à Colômbia até US$ 1 bilhão
    Trump assina decreto de sanções contra exportações de ouro da Venezuela
    Tags:
    crise na venezuela, crise, sanções, el petro, FMI, Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), PDVSA, Jesus Faria, Estados Unidos, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik