11:24 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Grãos de café (foto de arquivo)

    'É só uma questão de tempo': América Latina ficará sem café?

    CC0 / Pixabay
    Américas
    URL curta
    462

    O fungo Hemileia vastatrix, que afeta as folhas do cafeeiro, chegou à América Latina e poderia causar consequências desastrosas para o continente – o maior exportador de grãos de café do mundo.

    Uma fazenda ao sul de Antigua, na Guatemala, que produzia até 2013 umas 65 toneladas de café por ano, enfrentou um surto de fungo em 2012 que alaranjou as folhas do cafeeiro e, dois anos mais tarde, toda a plantação já estava afetada, passando, assim, a produzir apenas 12 toneladas, alertou o portal americano NPR.

    Essa fazenda é apenas um dos exemplos do que poderia acontecer com todos os países exportadores do grão na América Latina.

    ​Você já ouviu falar do bloqueio criativo de um escritor, mas o verdadeiro arqui-inimigo de um escritor é muito mais insidioso, com um nome muito mais legal e sinistro: Hemileia Vastatrix

    Também chamado de roya, o fungo coloca o continente "na pior crise do café do nosso tempo", adverte o produtor guatemalteco Josué Morales.

    A América Central está cheia de pequenas empresas domésticas de produtores de café que vendem seus grãos para empresas em todo o mundo, produzindo um total de 80% do café da região, e são estas lavouras que já então sendo atingidas pelo parasita.

    Cerca de 70% dessas fazendas já estão sofrendo o poder destrutivo das pragas desse fungo, que conseguiu derrubar todo um império do café no século XIX, causando estragos nas plantações de café do Sri Lanka em 1879.

    Em um país chamado na época de Ceilão, que exportava 59 mil toneladas de café para o mundo, o fungo conseguiu desaparecer com toda a sua safra produtiva, não deixando nenhuma saída para os agricultores que não puderam fazer nada.

    Suspeita-se que as pragas que estão causando estragos na América Central vieram do Sri Lanka, chegando através do mar à África e posteriormente atravessou o Atlântico e alcançou o Brasil, de onde se espalhou. A Federação Nacional dos Cafeicultores da Colômbia está levando o assunto muito a sério, calculando perdas de 80% nas fazendas do país.

    Apesar de que nos últimos anos a incidência da praga nas lavouras de café foi reduzida graças às novas tecnologias, o fungo ainda está ganhando a batalha. Seu impacto pode ser reduzido a certo ponto, mas não erradicado.

    Cientistas alertam que variedades resistentes serão um problema, e que o fungo está evoluindo. Benoit Bertrand, um dos maiores geneticistas de café do mundo e membro do CIRAD (Centro Francês de Pesquisa Agrícola para o Desenvolvimento Internacional) alerta: "É só uma questão de tempo."

    Mais:

    Chile: Câmara dos Deputados aprova projeto para liberar plantação de maconha
    Com sanções e tudo: Putin diz que safra agrícola na Rússia será recorde em 2017
    Campo prevê safra maior de protestos contra medidas do governo
    Tags:
    agricultura, perigo, árvores, exportação, grãos, praga, fungos, safra, café, Brasil, América Central, América Latina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik