07:58 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Espionagem

    Dado como morto, agente duplo russo está vivo e bem nos EUA, afirma site

    © flickr.com / Dennis Skley
    Américas
    URL curta
    122

    O agente duplo russo Alexander Poteyev, que expôs uma rede de suspeitos agentes secretos russos nos Estados Unidos em 2010 e acredita-se que tenha morrido vários anos depois, está vivo e vive no país sob seu próprio nome, informou a imprensa local.

    A mídia informou que o ex-espião estava morto em julho de 2016.

    No entanto, em outubro daquele ano, Poteyev divulgou sua identidade, incluindo seu nome e data de nascimento, quando ele comprou uma licença de pesca recreativa no estado americano da Flórida, informou o site BuzzFeed nesta quinta-feira.

    Além disso, por volta dessa época, o ex-espião também se registrou para votar na eleição presidencial dos EUA em 2016, novamente fornecendo seus dados pessoais, acrescentou o veículo.

    Além disso, a imprensa ocidental informou em setembro que oficiais da inteligência dos EUA haviam tomado medidas para proteger um desertor russo depois que um suposto assassino se aproximou de sua casa. Fontes de inteligência confirmaram ao BuzzFeed que esse desertor era Poteyev.

    O site alegou que, em 2017, solicitou à Agência Central de Inteligência dos EUA (CIA) um comentário sobre a informação de que Poteyev ainda estava vivo. Mas as autoridades de inteligência dos EUA pediram ao BuzzFeed que essa informação não fosse divulgada, alegando que revelar os detalhes pessoais de Poteyev aumentaria a ameaça à sua vida.

    De acordo com a emissora, até 100 desertores, muitos dos quais são russos, aderem ao programa de reassentamento das autoridades dos EUA anualmente. Essas pessoas costumavam ter seus nomes e documentos alterados, além de receberem assistência para criptografar suas comunicações e encontrar empregos e escolas, observou a agência. Alguns deles também receberam cirurgias plásticas para torná-los menos reconhecíveis e forneceram proteções 24 horas por dia para protegê-los.

    Em um caso importante em 2010, as autoridades dos EUA detiveram 10 indivíduos, incluindo Anna Chapman, por suspeita de realizar atividades de espionagem. Os Estados Unidos e a Rússia concordaram em trocar os detidos por um grupo de oficiais de inteligência condenados que cumpriam pena na Rússia. Este grupo incluiu o agente duplo Sergei Skripal, que foi envenenado no Reino Unido em março passado.

    Mais:

    Rússia acusa livro sobre Skripal de substituir depoimento formal no caso de envenenamento
    'Skripal não é um defensor de direitos humanos, mas um traidor da pátria', diz Putin
    Putin: Skripal é um canalha, quanto mais rápido campanha informacional terminar, melhor
    Tags:
    agente duplo, espião, espionagem, CIA, Sergei Skripal, Alexander Poteyev, Rússia, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik