19:39 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA, Donald Trump, discursa na Assembleia Geral da ONU, em 25 de setembro de 2018

    Trump ameaça Síria e critica Irã em discurso na Assembleia Geral da ONU

    © REUTERS / Carlo Allegri
    Américas
    URL curta
    29828

    O presidente dos EUA, Donald Trump, discursou nesta terça-feira (25) na 73ª Sessão da Assembleia Geral da ONU, em Nova York.

    Enfatizando a necessidade de um novo processo de paz na Síria liderado pela ONU, Trump ameaçou reagir se Damasco usasse armas químicas.

    O presidente dos EUA disse que Washington está procurando "uma solução política que honre a vontade do povo sírio".

    "Pedimos que o processo de paz liderado pela ONU seja revigorado, mas fique certo de que os Estados Unidos responderão se armas químicas forem utilizadas pelo regime de Assad", disse Trump.

    Atacando Teerã por sua assistência à Síria em sua luta contra o terrorismo, Trump observou que a solução para o conflito na Síria deve "enfrentar a ditadura corrupta no Irã".

    Trump também elogiou a cooperação entre os EUA e seus aliados do Golfo, dizendo que essa cooperação contribuiu para a derrota do grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e em uma série de países). "Graças aos militares dos Estados Unidos e à nossa parceria com muitas de suas nações, tenho o prazer de informar que os assassinos sanguinários conhecidos como Daesh foram expulsos do Iraque e da Síria", disse Trump.

    Ao abordar o comércio mundial, Trump acusou os países de "abusarem" da abertura do mercado norte-americano, realizando "o implacável dumping de produtos, a transferência forçada de tecnologia e o roubo de propriedade intelectual".

    Em um ataque direto à China, Trump apontou a perda de 3 milhões de empregos industriais. "Esses dias acabaram. Nós não vamos mais tolerar tal abuso", frisou. 

    Ao falar da situação da Coreia do Norte, Trump afirmou que o processo na península coreana é um "ousado e novo impulso pela paz", acrescentando que aprecia os esforços do líder norte-coreano Kim Jong-un. Trump destacou, no entanto, que "as sanções permanecerão em vigor até que a desnuclearização ocorra".

    "Hoje estou diante da Assembleia Geral das Nações Unidas para compartilhar o progresso extraordinário que fizemos. Em menos de dois anos, meu governo realizou mais do que praticamente qualquer administração na história de nosso país", disse o presidente dos EUA, Trump, ao discursar na 73ª Sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York. 

    Antes de seu discurso, Trump twittou que os EUA hoje "são muito mais fortes e muito mais ricos" do que quando assumiu o cargo há menos de dois anos.

    Mais:

    Trump não irá diminuir pressão sobre Coreia do Norte, diz Pompeo
    NY Times: Vice-procurador-geral queria gravar secretamente sua reunião com Trump
    Politólogo sobre 'Forte Trump': Polônia exagera seu papel e importância
    Como Trump garimpa 'piores erros' dos EUA e revoluciona sua política exterior
    Assessor de Segurança Nacional: Trump implementa plano de operações cibernéticas ofensivas
    Tags:
    ameaça, armas químicas, Assembleia Geral da ONU, Donald Trump, Irã, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik