08:22 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Álvaro Uribe, ex-presidente da Colômbia

    Uribe sugere 'intervenção legal' na Venezuela antes de visita de ministro aos EUA

    © REUTERS / Fredy Builes
    Américas
    URL curta
    10210

    O ministro de Relações Exteriores da Colômbia, Carlos Trujillo, viajou aos Estados Unidos nesta quarta-feira para discutir a situação política e social na Venezuela que levou à alta imigração, logo após o senador e ex-presidente Álvaro Uribe pedir uma "intervenção legal" no país caribenho.

    "Eu queria deixar claro, em nome desta bancada [Centro Democrático], que para nós, nessas circunstâncias, o princípio da não intervenção é uma desculpa inaceitável, porque hoje as obrigações de todos prevalecem na frente de todos, segundo a Carta Democrática e com as Nações Unidas", disse Uribe no plenário do Senado.

    Uribe, líder do Centro Democrático, partido ao qual Trujillo e o presidente Ivan Duque pertencem, fez as declarações na noite de terça-feira, pouco antes do início da visita do ministro de Relações Exteriores aos Estados Unidos.

    Na segunda-feira passada, em entrevista à rádio local Caracol, Duque considerou que uma intervenção militar liderada pelos Estados Unidos "não é o caminho" para resolver a situação na Venezuela.

    "Eu acho que os Estados Unidos são os primeiros a entender que uma intervenção militar unilateral não é o caminho", afirmou Duque, então espera-se que Trujillo fale com delegados do governo dos EUA sobre outras maneiras de "pressionar" a administração de Nicolás Maduro, para que convoque eleições e faça uma "transição democrática".

    No entanto, Uribe justificou a intervenção porque — argumentou ele — a imigração dos venezuelanos "excede todas as capacidades do país", e lembrou que Duque "lidera o estabelecimento de um fundo internacional para enfrentar essa crise".

    Uribe comparou a crise dos venezuelanos na Colômbia com a Europa e alertou para os riscos que isso implica.

    "Se compararmos o tamanho da crise europeia com os refugiados que chegam do leste do conflito sírio em um ano 230 mil, na Alemanha 390 mil foram adicionados, eles criaram um enorme problema para o governo de [Angela] Merkel e isso fortaleceu um partido extremamente nacionalista", avaliou.

    Segundo a Migração da Colômbia, mais de 1,3 milhão de venezuelanos entraram no país nos últimos 18 meses.

    Sobre o assunto, Uribe ressaltou que o Chile recebeu cerca de 450 mil venezuelanos, "principalmente por terra, atravessando todo o território da Colômbia, Equador e Peru".

    A visita de Trujillo aos Estados Unidos, que terminará na sexta-feira, também buscará propor alternativas à comunidade internacional para abordar a situação regional devido à migração de venezuelanos.

    Mais:

    Inflação da Venezuela foi de 223,1% em agosto
    Presidência volta a descartar hipótese de fechar fronteira com Venezuela
    Venezuela prorroga proibição temporária de porte de armas
    Tags:
    diplomacia, refugiados venezuelanos, crise na venezuela, Carlos Trujillo, Nicolás Maduro, Ivan Duque, Álvaro Uribe, Estados Unidos, Venezuela, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik