21:04 18 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Um casal se acaricia em uma praça pública em Guadalajara, no México. Uma nova lei na cidade instrui os policiais a apenas abordarem casos de sexo em público se houver uma reclamação de terceiros.

    Amor livre? Esta cidade no México pede que policiais ignorem sexo em público

    © AP Photo / Refugio Ruiz
    Américas
    URL curta
    351

    Na 2ª maior cidade mexicana, Guadalajara, uma curiosa alteração de lei tem dividido opiniões. Acontece que o código de atuação dos policias ordenou que os agentes de segurança passem a ignorar casos de sexo em público e ajam apenas se algum cidadão se incomodar.

    Os que propuseram a medida acreditam que isso possa evitar que mais pessoas sofram abusos de policiais em busca de suborno, prática considerada comum no local, conforme conta a Associated Press (AP). Já os críticos acreditam que a proposta pode encorajar mais pessoas a cometerem atos sexuais em frente a estranhos nas ruas.

    A mudança no código de atuação dos policiais continua considerando o ato sexual público uma ofensa administrativa, que pode levar à detenção e multas. No entanto, a orientação aprovada este mês pelo governo local é de que só haja abordagem caso os policiais recebam reclamação de terceiros.

    "A única coisa que nós adicionamos foi que a polícia deve deter o casal se houver um pedido de um cidadão", disse Guadalupe Morfin, a vereadora local que propôs a medida. Ela argumenta que isso fará com que casos de corrupção diminuam e que os policiais possam voltar o foco para questões mais sérias.

    Morfin também não acredita que isso irá encorajar mais pessoas a fazerem sexo nas ruas. "Ninguém quer que haja pessoas fazendo sexo em público em frente a meninos e meninas", disse ela.

    Já Livier Martins, do conservador Partido da Ação Nacional, a única a votar contra a lei, acredita que há outras formas de combater a corrupção. Para ela, a alteração desrespeita o código civil do estado de Jalisco, especificamente os artigos sobre moralidade e exibicionismo.

    "Eu não compreendo a ideia de limitar a ação policial para prevenir um crime", afirmou. Martins acredita que a medida possa criar confusão entre os policiais.

    Não há estatísticas confiáveis que mostrem o quanto essa ocorrência é comum, pois esse tipo de caso raramente chega ao sistema judiciário. Ao contrário, eles costumam ser resolvidos nas ruas através do suborno aos policiais.

    Segundo a AP, há histórias de policiais exigindo propina inclusive em casos de casais que apenas estavam se beijando.

    "Às vezes eles não estão nem fazendo sexo em público, apenas se beijando ou coisas assim. Mas eles [os policiais] fazem isso para ganhar dinheiro, tirar vantagem disso", afirmou à AP Andrea Quintana, uma estudante de Guadalajara. "Então eu acredito que é bom que agora eles tenham que ter prova de que alguém realmente está fazendo algo errado".

    Mais:

    Que nem México para EUA: como economia ucraniana fica cada vez mais dependente de Moscou
    Trump antecipa grande acordo comercial com México
    Modelo brasileira arrasa de maiô e tira FOTOS glamourosas no México (VÍDEO)
    Tornado incrível atinge noroeste do México (VÍDEOS)
    Trump diz que acordo de comércio com México avança e lança um alerta ao Canadá
    Tags:
    força policial, sexo em público, sexo, AP, Livier Martins, Guadalupe Morfin, Guadalajara, Jalisco, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik