03:09 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldado norte-americano, à esquerda, sentado em veículo blindado perto da tensa linha de frente entre o Conselho Militar de Manbij, apoiado pelos EUA, e os combatentes apoiados pelos turcos, em Manbij, norte da Síria, 4 de abril de 2018

    Departamento de Estado nega encontro entre delegação dos EUA e chefe de segurança síria

    © AP Photo / Hussein Malla
    Américas
    URL curta
    566

    Anteriormente, a imprensa libanesa informou que uma delegação de inteligência dos Estados Unidos visitou Damasco em junho e realizou uma reunião com altos funcionários das agências de segurança sírias.

    A mídia libanesa informou citando fontes de que a delegação dos EUA visitou Damasco em junho e realizou uma reunião com altos funcionários das agências de segurança sírias.

    Na reunião, a delegação de alto escalão dos EUA afirmou que Washington retiraria suas tropas da Síria se as forças iranianas fossem retiradas do sul da Síria, informou o jornal Al Akhbar na terça-feira.

    No entanto, Heather Nauert disse a repórteres na quarta-feira que o Departamento de Estado dos EUA não tinha conhecimento de uma reunião em Damasco entre altos funcionários dos EUA e o chefe do serviço de inteligência da Agência Nacional de Segurança da Síria.

    "Isso não reflete qualquer realidade da qual estamos certamente cientes… Vimos esse relatório e ele não reflete nada que o governo dos EUA está rastreando neste momento", disse Nauert. "Eu não tenho conhecimento de nenhuma reunião".

    No início do dia, o vice-chanceler russo, Mikhail Bogdanov, disse que o Ministério das Relações Exteriores da Rússia também não estava ciente das alegadas negociações entre delegações dos EUA e dos serviços de inteligência sírios.

    O veículo libanês relatou a reunião disse que os pontos cruciais das conversas clandestinas também eram uma proposta de que as empresas dos EUA poderiam receber concessões de petróleo no leste da Síria e um pedido para que os EUA recebessem informações completas sobre os grupos terroristas remanescentes na Síria. combatentes estrangeiros que poderiam retornar aos países ocidentais.

    Por sua vez, Heather Nauert disse em uma coletiva de imprensa que o Representante Especial dos EUA para a Síria, Jim Jeffrey, e o Secretário de Estado para Assuntos do Oriente Próximo David Satterfield se reuniram com o embaixador da Rússia nos Estados Unidos Anatoly Antonov no início desta semana.

    "O embaixador Jeffrey e o embaixador Satterfield se encontraram no início desta semana com o embaixador russo nos Estados Unidos, em parte para levantar preocupações sobre o que poderia acontecer em Idlib", disse Nauert a repórteres na quarta-feira.

    Na terça-feira, o major-general Aleksei Tsygankov, chefe do Centro Russo de Reconciliação Síria, disse que representantes do grupo Capacetes Brancos entregaram uma grande remessa de substâncias tóxicas a um depósito usado por militantes Ahrar al-Sham na província de Idlib.

    De acordo com Tsygankov, uma parte deste carregamento em barris de plástico não identificados foi depois transportada para outra base militante na parte sul da província de Idlib, a fim de encenar um ataque químico de bandeira falsa e posteriormente acusar as forças do governo de usar agentes tóxicos contra civis.

    Tags:
    Capacetes Brancos, Centro Russo de Reconciliação, Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Jim Jeffrey, David Satterfield, Anatoly Antonov, Aleksei Tsygankov, Mikhail Bogdanov, Heather Nauert, Idlib, Ahrar al-Sham, Estados Unidos, Damasco, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik