23:51 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Terroristas do Daesh em Tel Abyad, nordeste da Síria (foto de arquivo)

    Parlamentar russo: para EUA, Daesh é ferramenta que deve estar sempre à mão

    © AP Photo / Militant website
    Américas
    URL curta
    922

    O representante permanente da Rússia na ONU, Vasily Nebenzya, acusou as inteligências estrangeiras de fornecerem armas ao Daesh. O parlamentar russo Frants Klintsevich disse ao serviço russo da Rádio Sputnik que Ocidente cria as condições para os terroristas, ajudando-os a sobreviver.

    Na Síria, a organização terrorista Daesh (proibida na Rússia e em vários outros países) recebe armas de estruturas semioficiais ligadas a serviços de inteligência de certos países, afirmou o representante permanente da Rússia na ONU, Vasily Nebenzya.

    "Continuamos a receber provas do fornecimento de armas [ao Daesh] do exterior, inclusive através de estruturas semilegais e até sob a égide de serviços de inteligência de certos países", disse Vasily Nebenzya.

    O diplomata expressou a esperança que o problema consiga ser discutido na conferência internacional sobre a resistência ao fornecimento ilegal de armas no âmbito de luta contra o terrorismo internacional, que se realizará em Moscou a 3-4 de setembro.

    Segundo avisou o representante russo, "é muito provável que os ataques dos terroristas cresçam em número, em primeiro lugar na zona de Idlib", acrescentando que os membros do Daesh utilizam em ataques terroristas menores de idade, incluindo crianças com menos de 12 anos.

    O diplomata avisou também que o lugar do Daesh na Síria pode ser ocupado por outra organização terrorista — a Al Qaeda (proibida na Rússia e em vários países). Segundo ele, a diminuição da atividade do Daesh permitiu à Al Qaeda erguer de novo a cabeça, possuindo um financiamento de 20 a 40 milhões de dólares por mês. Ele acrescentou que o grupo está reforçando seus laços com suas sucursais do Norte da África, procura controlar os negócios ilegais locais, bem como investe em grupos empresariais agroindustriais dos países africanos.

    Frants Klintsevich, do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação, expressou a sua opinião ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    "De tudo o que foi criado pelos americanos, nem a Al-Qaeda, nem o Daesh, nem o Talibã desapareceram. Eles sobrevivem, pois são criadas as condições nas quais estes grupos não se extinguem. Além disso, está sendo empreendida a tentativa de salvar as organizações terroristas. Por exemplo, a Al-Qaeda, deixando a luta militar ativa, criou a sua infraestrutura comercial, económica e, de fato, ganha dinheiro", disse Frants Klintsevich.

    O parlamentar acrescenta, que "eles [as organizações terroristas] são apoiados por meios financeiros através dos canais de inteligências dos países ocidentais. "Eles estão salvando o Daesh — vamos lembrar como especialistas americanos transportaram os cabecilhas para o Afeganistão. Hoje em dia, a Al-Qaeda, não abandonando as suas intenções terroristas, se reforçou como entidade comercial: tem suas representações comerciais, empresas agrícolas, refinarias. Tudo isso existe, funciona com determinada permissão. Sendo uma ferramenta que deve estar sempre à mão, está afiada e pronta para ser usada. E esta ferramenta é mantida principalmente pela inteligência dos EUA. Nós falamos disso direta e abertamente".

    Mais:

    Cidadão russo é detido em Berlim por suspeita de planejar ataque terrorista
    Polícia catalã diz que ataque à delegacia em Barcelona foi um ato terrorista
    Daesh se reorganiza com mais de 20 mil membros no Iraque e na Síria, diz a ONU
    Al-Qaeda pode tomar o lugar do Daesh e atrapalhar paz na Síria, diz embaixador russo
    Tags:
    financiamento, ferramentas, terrorista, Talibã, Al-Qaeda, Daesh, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik