12:54 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Reunião da Alba, em Caracas.

    Equador abandona ALBA em resposta à crise migratória na Venezuela

    © REUTERS / Carlos Garcia Rawlins
    Américas
    URL curta
    823

    O governo do Equador decidiu retirar-se da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América (ALBA) em resposta à complexa situação migratória na Venezuela e à inércia das autoridades do país para lidar com a crise.

    De acordo com o ministro das Relações Exteriores do Equador, José Valencia, o Equador "não continuará sua participação na ALBA", acrescentando que seu país "está frustrado com a falta de vontade política" do governo da Venezuela "de abrir a porta para uma solução democrática".

    O governo do presidente Nicolás Maduro em Caracas se depara com o descontentamento generalizado com a hiperinflação e a escassez de alimentos e remédios durante um quinto ano de recessão que ele atribui à hostilidade ocidental e à queda dos preços do petróleo.

    Brasil, Colômbia, Chile, Equador, Panamá, Argentina e Peru, são os principais destinos dos imigrantes venezuelanos, enquanto outros buscaram status de refugiados nos Estados Unidos, Espanha, México e Costa Rica. 

    Segundo dados do ACNUR, mais de 52.000 venezuelanos chegaram ao Brasil desde o início de 2017, dos quais 25.000 solicitaram asilo. Cerca de 40.000 pessoas vivem hoje em Boa Vista, capital do Estado de Roraima.

    Mais:

    Professor avalia mudança de câmbio na Venezuela e prevê próximos passos da crise
    Tensão: Colômbia protesta contra nova incursão militar da Venezuela
    Rússia começa a produzir fuzis Kalashnikov na Venezuela em 2019
    Comissão do Parlasul vai a Roraima acompanhar crise na fronteira com Venezuela
    Tags:
    imigrantes, crise migratória, Alba, Equador, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik