14:55 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Nacionalistas brancos carregam tochas na Universidade da Virgínia, às vésperas do evento Unite The Right em Charlottesville, Virgínia, EUA.

    Acusações de que a Rússia envolveu-se em Charlottesville são 'absurdas', diz embaixada

    © REUTERS / Alejandro Alvarez/News2Share
    Américas
    URL curta
    516

    As alegações, expressas por alguns políticos dos EUA, de que a Rússia esteve envolvida nos confrontos protagonizados por nacionalistas brancos na cidade de Charlottesville, nos Estados Unidos, em 2017, são absurdas, assim como outras alegações de que Moscou se intrometeu nos assuntos domésticos de Washington, disse embaixada russa nos EUA.

    O deputado Tom Garrett, do Partido Republicano, disse à emissora CNN no sábado (11) que foi informado em recente conversa com o chefe do FBI, Christopher Wray, que a interferência da Rússia tinha a ver com "fomentar as chamas do que aconteceu em Charlottesville".

    "A questão então surge, se ao menos um fato provar essas alegações tiver sido apresentado. Não há [evidências para provar], e não há evidência para apoiar outras alegações absurdas de que a Rússia se intrometeu nos assuntos internos dos EUA. Nós constantemente chamamos a atenção da administração dos EUA e do público em geral para isso", disse a embaixada em um comunicado neste domingo (12).

    A embaixada disse que não se surpreenderia se as autoridades dos EUA encontrarem um "traço russo" nos protestos em curso, programados para o aniversário de um ano dos eventos de Charlottesville, em Washington.

    "Mudar a responsabilidade sobre os outros é mais simples do que resolver os problemas internos, o que mostra que as tensões inter-raciais nos Estados Unidos não terminaram mais de 150 anos após a proibição oficial da escravidão", afirmou o comunicado.

    Mais:

    Neonazista de Charlottesville consegue licença para realizar marcha próximo à Casa Branca
    Maioria dos americanos reprova a reação de Trump aos acontecimentos em Charlottesville
    Ativistas marcham de Charlottesville a Washington em protesto contra o racismo
    Charlottesville: 'O presidente fala por si mesmo', diz Tillerson sobre Trump
    Tags:
    racismo, Partido Republicano, FBI, Christopher Wray, Tom Garrett, Charlottesville, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik