12:16 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Amado Boudou.

    Ex-vice-presidente da Argentina é condenado a mais de 5 anos de prisão

    © REUTERS / Marcos Brindicci
    Américas
    URL curta
    122

    O ex-vice-presidente da Argentina Amado Boudou foi condenado nesta terça-feira (7) a cinco anos e 10 meses de prisão por um caso de corrupção que envolve a compra de uma empresa de impressão de papel-moeda.

    O 4° Tribunal Federal de Buenos Aires decidiu que em 2010 o então ministro da Economia Boudou intercedeu para evitar a falência da companhia Ciccone em troca de ficar com a empresa através um laranja. O Judiciário decidiu que ele é "autor criminalmente responsável de corrupção passiva (tendo subornos) e negociações incompatíveis com o serviço civil".

    Além de ministro, Boudou foi vice-presidente de Cristina Kirchner de 2011 a 2015. 

    Boudou declarou-se inocente e afirma que a decisão judicial faz parte de uma perseguição contra ele e a esquerdista Cristina Kirchner.

    "Os políticos que seguem o caminho que os poderosos decidem não têm problemas. Os políticos que decidem mudar a realidade, são perseguidos(…) Há uma questão de vingança, há uma questão de vingança de classe", disse Boudou antes de conhecer o veredicto.

    O antigo vice-presidente também precisará pagar uma multa de cerca de US$ 3,2 mil e não poderá mais ocupar cargos públicos. 

    Boudou ainda poderá recorrer da decisão.

    O antigo vice-presidente foi preso por outro caso no início de novembro de 2017 sob a acusação de lavagem de dinheiro e associação ilícita. Ele foi libertado da prisão em janeiro depois de um tribunal ter decidido que ele provavelmente não interferiria no caso e que ele poderá esperar o julgamento em liberdade.

    Mais:

    Bolívia anuncia acordo com a Argentina para cooperação no combate ao tráfico
    Por que EUA instalam base militar na Argentina?
    Navio pesqueiro da Espanha naufraga na Argentina
    Fóssil encontrado na Argentina muda a história dos dinossauros gigantes (FOTOS)
    FMI aprova empréstimo de US$ 50 bilhões para Argentina
    Tags:
    Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik