04:55 16 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Protestos na Nicarágua

    Nicarágua pune médicos que socorreram manifestantes e novos protestos são realizados

    © REUTERS / Oswaldo Rivas
    Américas
    URL curta
    2 0 0

    Milhares de pessoas marcharam neste sábado (4) contra o governo do presidente Daniel Ortega e sua repressão contra os médicos que trataram de manifestantes feridos que Manágua chama de terroristas.

    Os manifestantes gritavam "não aos abusos", "médicos de longa data" e "os médicos não são terroristas", em solidariedade aos médicos que o governo puniu por serem membros da oposição ou por cuidar deles.

    Cerca de 100 médicos em todo o país foram demitidos de hospitais públicos por cuidarem de pessoas feridas nos distúrbios anti-Ortega.

    De acordo com grupos de direitos humanos, 317 pessoas foram mortas e 2.000 ficaram feridas em mais de três meses de agitação contra o governo.

    Os Estados Unidos, a Organização dos Estados Americanos e o Vaticano apoiam as reivindicações dos manifestantes de que Ortega —no poder desde 2007- renuncie, ou pelo menos concorde em realizar eleições antecipadas.

    Mas Ortega afirma que o país mergulhará na "anarquia" se ele deixar o poder antes do final de seu mandato, no início de 2022.

    Ele convocou um manifestação em sua defesa e para exigir "justiça para as vítimas do terrorismo".

    Os manifestantes que se uniram em apoio aos médicos usavam máscaras e lenços e disseram ter medo de possíveis retaliações.

    Mais:

    OEA cria grupo para pôr fim à crise, mas governo da Nicarágua negará entrada no país
    EUA financiam violência na Nicarágua, diz presidente Ortega
    Evo Morales acusa EUA de atentar contra a paz na Nicarágua: 'Eles não são donos do mundo'
    Tags:
    Daniel Ortega, Nicaraguá
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik