16:50 21 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente do FMI Christine Lagarde

    Guerra comercial dos EUA pode diminuir PIB Global, diz FMI

    © AP Photo / José Luis Magaña
    Américas
    URL curta
    610

    A diretora-executiva do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, disse neste sábado (21) que a recente série de tarifas comerciais aplicadas pelos Estados Unidos podem reduzir o produto interno bruto (PIB) mundial em até 0,5%.

    Desde março, Trump tem aplicado novas tarifas protecionistas, incluindo tarifas sobre importações de alumínio e aço, assim como taxas sobre importações da China acumulando bilhões de dólares.

    "Isso certamente indica o impacto que isso pode ter no PIB, que no pior cenário […] está na faixa de 0,5% do PIB global", disse Lagarde em entrevista coletiva na capital argentina de Buenos Aires, que sedia a reunião dos ministros das finanças do G20 e dos governadores dos bancos centrais.

    A chegada de Lagarde à capital argentina foi recebida com protestos contra a presença do FMI no país e também questionando o empréstimo recentemente aprovado pela organização no valor de US$ 50 bilhões para a Argentina. Os manifestantes acreditam que isso fará com que as autoridades do país prossigam com suas políticas de austeridade nas despesas públicas, provocando assim mais demissões nos setores público e privado.

    Falando sobre o empréstimo para a Argentina, Lagarde disse que as metas do país para a taxa de inflação anual são possíveis de serem alcançadas, e observou o que considera um progresso do país em questões tributárias.

    No final de junho, o FMI aprovou a alocação de um crédito no valor de US$ 50 bilhões para o país, com as autoridades argentinas expressando intenção de usar apenas a primeira parcela, de US$ 15 bilhões. Enquanto isso, muitos especialistas temem que a meta de 15% da inflação anual da Argentina não seja atingida até o final do ano.

     

    Mais:

    Após protestos por acordo com FMI, ONU pede o fim da violência no Haiti
    FMI aprova empréstimo de US$ 50 bilhões para Argentina
    Tríade liderada pelo FMI pode 'invadir' Itália para evitar falência, diz político alemão
    Tags:
    guerra comercial, FMI, Christine Lagarde, China, Estados Unidos, EUA, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik