09:12 19 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    No cartaz está escrito: Monsanto. É uma das maiores empresas de produção dos alimentos trasgênicos.

    Monsanto senta no banco dos réus nos EUA

    © Sputnik / Kaveh Rostamkhani
    Américas
    URL curta
    380

    O advogado de um jardineiro californiano vítima de câncer começou sua batalha contra a Monsanto nesta segunda-feira (9), quando um júri começou a ouvir o processo que acusa a gigante química de ignorar os riscos à saúde de seu principal herbicida, o Roundup.

    "Nos últimos 40 anos, a Monsanto soube que o ingrediente principal do Roundup pode produzir tumores em animais de laboratório", disse o advogado Brent Wisner a um tribunal estadual da Califórnia.

    A disputa legal envolve Dewayne Johnson, um pai de 46 anos de idade. Diagnosticado em 2014 com linfoma não-Hodgkin, um câncer que afeta células brancas do sangue, Johnson usou uma versão genérica do Roundup da Monsanto chamada "Ranger Pro" repetidamente em seu trabalho em uma escola em Benicia, Califórnia.

    Em sua declaração de abertura, Wisner disse que a Monsanto optou por não alertar os consumidores sobre os riscos e que, em vez disso, "eles lutaram contra a ciência", minimizando a suspeita de ligação entre o herbicida químico e o câncer.

    "A Monsanto se esforçou para intimidar cientistas e combater pesquisadores", disse ele ao júri.

    O caso na Corte Superior da Califórnia é o primeiro julgamento em que se diz que o Roundup causou câncer, uma alegação repetidamente negada pela empresa química.

    Se a Monsanto perder, o caso pode abrir a porta para centenas de ações judiciais adicionais contra a empresa recentemente adquirida pelo grupo químico e farmacêutico alemão Bayer.

    A Monsanto afirma que seu produto não é cancerígeno e que o cancêr de Johnson não está ligado ao seu emprego. 

    Agente Laranja

    Fundada em 1901 em St. Louis, Missouri, a Monsanto começou a produzir agroquímicos na década de 1940. A empresa foi adquirido pela Bayer por mais de US$ 62 bilhões em junho.

    A Monsanto foi uma das empresas que produziu o desfolhante "Agente Laranja", que tem sido associado ao câncer e outras doenças, para uso das forças dos EUA no Vietnã. Ele nega a responsabilidade de como os militares o usaram.

    O principal herbicida Roundup da Monsanto foi lançado em 1976. A empresa logo em seguida começou a modificar geneticamente as plantas, tornando algumas resistentes ao Roundup.

    Em 2015, a Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer — órgão da Organização Mundial de Saúde — classificou o glifosato como "provavelmente cancerígeno" e, como resultado, o estado da Califórnia o listou como carcinogênico.

    Mas as agências européias de segurança alimentar e de produtos químicos até agora não seguiram o exemplo, enquanto um estudo do Departamento de Saúde dos EUA sugere que sua toxicidade é limitada.

    Mais:

    Agrotóxicos não são regulados de maneira satisfatória no Brasil, diz ex-gerente da Anvisa
    Comissão da Câmara aprova projeto que flexibiliza uso de agrotóxico
    No dia do Índio, a festa é Agro: entenda a disputa entre indígenas e ruralistas
    Tags:
    Monsanto, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik