05:53 20 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Homem assiste à transmissão de notícias que mostra o presidente norte-americano Donald Trump e líder norte-coreano Kim Jong-un

    Graças a Kim Jong-un, Trump ganha 'tapinhas nas costas' de líderes do G7

    © AP Photo / Ahn Young-joon
    Américas
    URL curta
    221

    A ministra de Relações Exteriores do Canadá, Chrystia Freeland, cujo país é o anfitrião deste ano do encontro dos líderes mundiais da cúpula do G7, disse que todos apoiaram o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em seu esforço para dialogar com a Coreia do Norte.

    Trump será o primeiro a deixar o encontro em Quebec neste sábado, quando vai se dirigir para Singapura, onde acontece a histórica cúpula com o líder norte-coreano Kim Jong-un, marcada para o dia 12 de junho.

    "Será uma oportunidade muito boa para os parceiros e aliados do G7 falarem com o presidente [Trump] sobre essa viagem e mostrar-lhe nosso apoio", declarou Freeland em entrevista coletiva nesta sexta-feira.

    Trump afirmou anteriormente que sua cúpula com Kim seria mais um evento para os dois se conhecerem, mas as suas esperanças são que isso pavimente o caminho para a desnuclearização da Coreia do Norte.

    O tema foi o único que rendeu elogios ao presidente dos EUA, bastante criticado pelas recentes tarifas impostas a países vizinhos e parceiros europeus, e também por pedir a volta da Rússia ao G7 – possibilidade afastada pela chanceler alemã Angela Merkel.

    Mais:

    Coreia do Norte confirmou a sua disposição para se desnuclearizar, diz secretário dos EUA
    Moscou pede que a AIEA mantenha a porta aberta ao diálogo com a Coreia do Norte
    Trump diz que não pode retirar sanções da Coreia do Norte
    Tags:
    armas nucleares, desnuclearização, acordo de paz, relações bilaterais, diplomacia, G7, Chrystia Freeland, Kim Jong-un, Donald Trump, Rússia, Coreia do Norte, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik