01:07 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Comunidade San Miguel Los Lotes, coberta por cinzas após a erupção vulcânica na Guatemala, em 4 de junho de 2018

    Isso é o que causa erupções dos vulcões da Guatemala e do Havaí (FOTOS)

    © AFP 2018 / Johan Ordonez
    Américas
    URL curta
    2145

    A violenta erupção do Vulcão de Fogo na Guatemala e o impressionante avanço da lava do Kilauea no Havaí mantêm a comunidade internacional preocupada. A Sputnik Mundo conversou com um vulcanólogo da Costa Rica, que explicou os processos eruptivos da América Central e da América do Norte.

    O Dr. Mauricio Mora, diretor da Escola da América Central de Geologia da Universidade da Costa Rica, disse à Sputnik Mundo que os processos geológicos que causam a atividade vulcânica na América Central e do Norte são diferentes.

    "A subducção [processo pelo qual uma placa tectônica desliza sob outra] da placa de Cocos abaixo da placa do Caribe é o que cria toda a cadeia vulcânica ao longo do istmo centro-americano e relaciona os vulcões da Costa Rica, Nicarágua, Salvador e Guatemala. No entanto, cada um tem uma história geológica independente e processos diferentes de alimentação magmática", assegura Mora.

    O vulcanólogo explicou por que o Havaí possui um processo geológico diferente da subducção da América Central.

    • Policial tropeça enquanto foge das novas emissões de cinzas do vulcão Fogo, Guatemala, em 4 de junho de 2018
      Policial tropeça enquanto foge das novas emissões de cinzas do vulcão Fogo, Guatemala, em 4 de junho de 2018
      © REUTERS / Luis Echeverria
    • Comunidade San Miguel Los Lotes, coberta por cinzas após a erupção vulcânica na Guatemala, em 4 de junho de 2018
      Comunidade San Miguel Los Lotes, coberta por cinzas após a erupção vulcânica na Guatemala, em 4 de junho de 2018
      © AFP 2018 / Johan Ordonez
    • Homem cobre seu rosto em meio a cinzas expelidas pelo vulcão Fogo na Guatemala, em 4 de junho de 2018
      Homem cobre seu rosto em meio a cinzas expelidas pelo vulcão Fogo na Guatemala, em 4 de junho de 2018
      © REUTERS / Luis Echeverria
    • Fotografia aérea da área coberta por cinzas após a erupção do vulcão Fogo na Guatemala, em 4 de junho de 2018
      Fotografia aérea da área coberta por cinzas após a erupção do vulcão Fogo na Guatemala, em 4 de junho de 2018
      © REUTERS / MINGOB/PNC
    • Equipes de resgate cavam a procura de corpos após a erupção do vulcão Fogo na Guatemala, em 4 de junho de 2018
      Equipes de resgate cavam a procura de corpos após a erupção do vulcão Fogo na Guatemala, em 4 de junho de 2018
      © REUTERS / Luis Echeverria
    • Vista parcial de uma vítima do incêndio após erupção do vulcão Fogo na Guatemala, em 4 de junho de 2018
      Vista parcial de uma vítima do incêndio após erupção do vulcão Fogo na Guatemala, em 4 de junho de 2018
      © AFP 2018 / Johan Ordonez
    • Veículos cobertos por cinzas na Guatemala após a erupção do vulcão Fogo, em 4 de junho de 2018
      Veículos cobertos por cinzas na Guatemala após a erupção do vulcão Fogo, em 4 de junho de 2018
      © REUTERS / Luis Echeverria
    1 / 7
    © REUTERS / Luis Echeverria
    Policial tropeça enquanto foge das novas emissões de cinzas do vulcão Fogo, Guatemala, em 4 de junho de 2018
    "No Kilauea, o processo geológico é conhecido como ‘ponto quente', que é um contexto geotectônico de plumas mantélica [fenômeno que consiste na ascensão de grande volume de magma] ou colunas estreitas de material tectônico que atravessam a crosta e geram uma alimentação magmática contínua", salientou Mora.

    Isto explica que no Havaí os vulções são "menos explosivos" e "mais efusivos", ou seja, com grandes volumes de lava, como aconteceu com o Vulcão Kilauea desde que entrou em erupção no dia 3 de maio.

    "No Havaí, os vulcões têm uma enorme extensão longitudinal por esses fluxos de lava que conseguem atingir grandes distâncias, com centros de emissão pontual e fissuras que formam esses extensos e baixíssimos vulcões", explicou o vulcanólogo da Rede de Sismologia da Costa Rica.

    Em contrapartida, na América Central "a placa tectônica de Cocos, que alcança uns 100 quilômetros de profundidade, interage com o manto terrestre e cria o magma que atravessa o córtex e gera estes vulcões explosivos e de grande altura. Então, são contextos muito diferentes a nível geológico".

    O Vulcão de Fogo da Guatemala e os vulcões da América Central compartilham um quadro de subducção, "que é o que permite a geração do magma que os alimenta e que os formou ao longo de sua história geológica, mas todos eles atuam independentemente".

    Contudo, pode ocorrer que alguns vulcões sejam muito similares a outros. Por exemplo, Mora explicou que o Fogo de Guatemala é idêntico ao Vulcão Arenal da Costa Rica: ambos com compartimentos explosivos e atividades muito parecidas.

    Mais:

    Erupção de vulcão deixa vários mortos e feridos na Guatemala
    Erupção do Kilauea é capturada em time-lapse hipnotizante (VÍDEO)
    Vulcão Kilauea entra em erupção e lava cobre ruas do Havaí
    Dois fortes terromotos atingem ilha do Havaí e vulcão entra em erupção (VÍDEO)
    Tags:
    erupção vulcânica, magma, lava, geografia, desastres naturais, geologia, destruição, vulcão, El Salvador, Guatemala, Havaí, América Central, América do Norte, Nicarágua, Costa Rica
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik