10:37 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Bandeiras chinesas e norte-americanas

    EUA alertam China sobre necessidade de realizar 'comércio justo'

    © AP Photo / Ng Han Guan, Pool
    Américas
    URL curta
    1218

    A delegação dos EUA liderada pelo secretário de Comércio, Wilbur Ross, que manteve conversas em Pequim no fim de semana, declarou à China que é necessário realizar um "comércio justo". A informação foi divulgada pela Casa Branca.

    "O principal tema das reuniões foi a redução do déficit comercial dos EUA, facilitando o fornecimento de produtos agrícolas e energéticos, a fim de satisfazer a demanda dos consumidores na China, que por sua vez ajudará a apoiar o crescimento econômico e emprego nos EUA", diz o comunicado da Casa Branca divulgado nesta segunda-feira (4).

    De acordo com a Casa Branca, "a clara tarefa do presidente Donald Trump continua sendo a realização de relações comerciais justas com a China".

    Anteriormente, os EUA haviam decidido aumentar o imposto atual sobre os produtos chineses em 50 bilhões de dólares. As novas taxas foram decididas pela introdução de 1,3 mil produtos chineses, como resposta à violação dos direitos intelectuais da China aos produtos americanos.

    O Conselho de Estado da China reagiu decidindo impor uma taxa de 25% sobre 106 itens de bens importados dos Estados Unidos. 

    No último domingo (3), a China alertou os Estados Unidos que qualquer acordo alcançado sobre comércio entre os dois países será anulado se Washington implementar tarifas e outras medidas comerciais.

    Mais:

    Pentágono: EUA continuarão manobras no mar do Sul da China apesar das objeções de Pequim
    China realiza 5 vezes mais testes nucleares que EUA
    Mídia: EUA pressionam China a comprar petróleo e gás para encerrar guerra comercial
    Tags:
    guerra comercial, comércio, tarifas, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik