21:21 19 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Instabilidade na Venezuela: uma onda de protestos deixou mais de 120 mortos no país governado por Nicolás Maduro.

    Supremo Tribunal da Venezuela anuncia libertação de 39 presos políticos

    © AP Photo / Ariana Cubillos
    Américas
    URL curta
    433

    O Supremo Tribunal de Justiça (TSJ) da Venezuela anunciou a liberação de 39 presos políticos que estavam participando de "manifestações" e "eventos" violentos entre 2014 e 2018.

    "Para este grupo de pessoas, presas entre 2014 e 2018, foram ditadas as decisões e foram outorgadas medidas de liberdade plena, e medidas cautelares determinando a apresentação a cada 30 dias, com proibição de sair do país, bem como formas alternativas de cumprimento da pena, entre outros", disse o presidente TSJ, Maikel Moreno, no Twitter.

    O ex-prefeito do município de San Cristobal del Tachira, Daniel Ceballos Morales, está na lista de beneficiários, assim como Maria Elena Uzcategui, Carmen Alicia Gutierrez Acevedo, Carmen Briones Donoso, Angelis Quiroz, Ninoska Josefina Bolívar, Stefanny Salazar, Diannet Blanco e Brigitte Herrada.

    Entre os libertos também estão Maria Angelina Salcedo Torres, Nazaré Vásquez, Lady Liliana Quintanillo, Erika Palacios Alfonzo, melanye Alvarez Castro, Geraldine Chacon, Marianyelis Sanchez Delgado, Gregory Hinds Rodriguez, Juan Pablo Giraldo, Juan Pedro Lares, Fermín Cocchioni, Diego Gómez, Ender Gonzalez e Dylan Canache.

    A lista se completa com Yessica Cordero, Ramon Ruiz, Yancer Soto, Diego Medrano, Jorge Galán, Luis Orozco, Luis Acosta, Hoffman Diaz Júnior Perez, Gabriel Vega, Alexis Alcala Duque, Gregori Pulido, Edisson Pichardo, Jairo Peñuela Jose Alexis é concluída Los Santos e José González León.

    A presidente da Assembléia Nacional Constituinte, Delcy Rodríguez, explicou que este foi o primeiro grupo a ganhar liberdade.

    No dia 24 deste mês, o presidente Nicolás Maduro solicitou à Assembléia Constituinte para avaliar o caso dos detidos durante os protestos da oposição.

    Mais 22 detidos foram liberados na semana passada, entre os quais 20 pessoas envolvidas em manifestações contra a falta de energia no estado de Zulia.

    Mais:

    'Ameaça à paz': Venezuela condena aliança da Colômbia com OTAN
    Especialista explica como os EUA poderiam organizar um golpe na Venezuela
    Maduro acusa EUA de planejarem golpe militar na Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik